Como emagrecer correndo

28 Junho, 2020
Correr pode ajudar a emagrecer, desde que você tenha em mente os fatores que vamos apresentar a seguir.
 

Talvez você tenha entrado para o mundo da corrida pela saúde, procurando um novo desafio pessoal ou então para alcançar um resultado. Este pode ser e relacionado a uma competição, ou então o que você enfrenta ao subir em uma balança. Se for este o caso, quais fatores devem ser considerados para emagrecer correndo?     

Muitas vezes, já desesperada, a pessoa joga a toalha. Não importa quantos quilômetros ela corra, ela não consegue perder os quilos a mais. É provável que isso aconteça porque certos fatores que serão fundamentais para emagrecer correndo não foram levados em consideração. A seguir, vamos te contar quais são eles.

Não confie na balança!

Normalmente, quando alguém sobe na balança e vê o seu peso, geralmente são tiradas as seguintes conclusões:

  • Quando o peso é maior do que na última vez que se pesou, a pessoa pensa que engordou e fracassou.
  • Se o peso for menor em comparação com a última pesagem, isso é associado à perda de gordura e aceito positivamente.
  • Se o peso permanecer o mesmo, a pessoa pensa que não houve nenhuma mudança e, por isso, o esforço realizado foi em vão.

No entanto, a verdade é que a balança convencional não reflete as mudanças físicas reais que ocorrem no corpo.

Ela não mostra se os quilos que foram ganhos ou perdidos são o resultado do aumento ou da perda de massa muscular ou de massa gorda, por exemplo. E quando o peso permanece o mesmo, ela também não reflete se houve alguma alteração física.

 
Mulher comemorando ao se pesar

Por outro lado, os aparelhos de bioimpedância ou a antropometria são uma ferramenta de precisão e confiabilidade (José Rodríguez, 2016) caso você queira ter uma referência das mudanças físicas que estão acontecendo no corpo.

Correr não pode ser uma desculpa para comer mais 

Se você corre porque quer emagrecer ou diminuir a gordura acumulada, a atividade física aeróbica ou anaeróbica realizada não justifica a ingestão de alimentos não saudáveis ou hipercalóricos.

Isso ocorre porque se a soma das calorias queimadas durante o dia – em repouso, durante as atividades diárias e correndo – for inferior à soma das calorias ingeridas durante o dia, não haverá um déficit calórico.

Também é preciso lembrar que não se trata apenas de contar calorias. É preciso saber de quais macronutrientes elas vêm e quais vitaminas e minerais estamos fornecendo ao nosso corpo. Portanto, quando se trata de emagrecer, é aconselhável procurar um nutricionista.

Inclua o treinamento de força

Se você quer queimar gordura, a corrida pode ser uma grande aliada, pois ajuda a queimar mais calorias durante o dia. Além disso, por se tratar de um exercício aeróbico, as gorduras são a sua principal fonte de energia.

 

No entanto, existem outras alternativas que podem proporcionar grandes benefícios em relação à perda de gordura, como, por exemplo, a musculação.

Esse tipo de exercício, além de favorecer o aumento da massa muscular, também acelera o metabolismo. Quanto mais massa muscular você ganhar, mais calorias serão queimadas em repouso.

O corpo se adapta às circunstâncias

O corpo é mais inteligente do que geralmente imaginamos. Quando uma atividade é realizada com frequência, o corpo acaba se adaptando a ela e, assim, acaba minimizando o esforço físico envolvido.

Menina correndo

Portanto, não será necessária nenhuma alteração física para enfrentar a mesma atividade e você entrará em estagnação. No caso do corredor, seria interessante introduzir um novo estímulo, como o treinamento intervalado, por exemplo.

Isso significa alternar a corrida de alta intensidade com recuperações ativas. Já foi provado que esse tipo de treinamento favorece a queima de gordura (Boutcher, 2008).

Meia hora não é o suficiente para emagrecer correndo

Se você correr durante apenas 30 minutos e depois passar o resto do dia no sofá ou sentado em frente ao computador, a sua queima de calorias será muito baixa. Por esse motivo, é necessário permanecer ativo durante o dia todo para queimar mais calorias do que as que foram consumidas ao longo do dia.

 

A corrida ajuda, mas não é tudo!  

Para concluir, embora a corrida possa ser uma grande aliada na luta contra o excesso de peso, ela não é a base fundamental. A alimentação, juntamente com um estilo de vida ativo, desempenha um papel essencial nesse sentido.

Finalmente, também existem outras atividades físicas com as quais a corrida pode ser combinada, tais como musculação ou treinamento intervalado, que serão muito úteis para a redução do percentual de gordura corporal.

  • Boutcher, S. H. (2018). Ejercicio Intermitente de Alta Intensidad y Pérdida de Grasa. Darío Cappa Capacitaciones. Revista de Educación Física.
  • de José Rodríguez, I. (2016). Valoración de la composición corporal por antropometría y bioimpedancia eléctrica. Bachelor’s thesis, Universidad Francisco de Vitoria.