Qual é o melhor momento para comer carboidratos?

15 Janeiro, 2019
Algo que devemos levar em conta ao consumir carboidratos é tentar alternar entre as refeições, evitando uma ingestão contínua
 

Há alguns anos tornou-se bastante difundida a ideia de que os carboidratos são inimigos, um daqueles grupos de alimentos com os quais devemos ter mais cuidado se quisermos perder peso ou nos mantermos em forma. Mas será que não devemos comer carboidratos na nossa alimentação?

Não é em vão que eles são acusados ​​de serem os culpados de nos engordar. Nutricionistas em todo o mundo acreditam, no entanto, que isso não é nada além de um exagero, desde que encontremos o momento certo para comer carboidratos no nosso dia a dia.

Então esta ideia não é totalmente errada, mas não devemos eliminar completamente os carboidratos da nossa dieta, pois estes têm uma função principal no bom funcionamento do nosso corpo.

Se você é um frequentador regular de academias e seguidores de dietas, você terá notado como, recentemente, prevalecem dietas pobres em carboidratos, que são baseadas na crença de que comer alimentos como pão branco, arroz ou macarrão será ruim para a cintura.

Qual é o raciocínio por trás dessas dietas? Que se você ingerir muitos carboidratos e açúcares – especialmente aqueles com pouca fibra que são mais difíceis de absorver pelo nosso corpo – aumentará o nível de glicose no sangue.

A menos que toda essa glicose seja queimada pelo exercício, o pâncreas irá produzir mais do hormônio insulina para tentar baixar a glicose para níveis normais. O processo armazenará como gordura o excesso de açúcar nos carboidratos.

Esse aumento de gordura – especialmente se for gordura visceral no abdômen – acarreta um risco maior de desenvolver problemas de saúde (como o diabetes tipo 2).

 

Mas então … Qual é a melhor hora para comer carboidratos?

Pães e macarrão

O objetivo de ter barriga lisa geralmente é traduzido na ideia de ter um café da manhã potente, uma refeição leve e, finalmente, um jantar cheio de legumes, para que os carboidratos sejam reservados para as horas que estamos em movimento.

De acordo com a nutricionista Lisa Mokovitz, em geral, é melhor dar mais peso aos carboidratos nas horas do dia de maior atividade. O que, logicamente, ocorre ao longo do dia.

O que isso significa? Que tudo aponta para o fato de que macarrão, pão e cereais, talvez não sejam o jantar adequado se nosso objetivo é perder peso.

O principal uso que nosso corpo faz desses nutrientes é usá-los como combustível para estarmos cheios de energia durante o dia, se comermos alimentos do tipo antes de ir dormir, é provável que se acumulem pouco a pouco em nosso abdômen.

Tudo isso é teoria, mas funciona assim na prática?

Para provar o ponto

A fim de verificar tudo isso, o doutor Adam Collins, da Universidade de Surrey, Inglaterra – em colaboração com a BBC – realizou um pequeno experimento que consistiu no seguinte:

 

Voluntários que estavam em boa saúde foram recrutados para estudar as diferentes respostas de seus corpos ao consumo de carboidratos em diferentes momentos do dia.

Um objetivo secundário do estudo foi verificar se seus organismos poderiam se adaptar a essas mudanças ao longo do tempo. Como ponto de partida, todos os voluntários tiveram que comer uma quantidade fixa de carboidratos por dia na forma de alimentos como pão ou massa.

Nos primeiros cinco dias do experimento, esses alimentos deveriam ser ingeridos principalmente no café da manhã e reservados apenas em pequena quantidade para a noite.

Depois, durante os cinco dias seguintes, eles tiveram que voltar à dieta normal – normalmente comendo carboidratos ao meio-dia – antes de mudar para uma dieta reversa: poucos carboidratos no café da manhã e a maioria no jantar pelo mesmo período de cinco dias.

Ao longo do período, o Dr. Collins supervisionou os níveis de glicose no sangue dos voluntários.

Os resultados: uma surpresa

O que foi encontrado nos resultados? Houve um vencedor claro, mas não aquele que, talvez, todos esperavámos. Ao analisar o sangue dos voluntários após o período do café da manhã com muitos carboidratos e jantares leves, eles encontraram uma glicemia média de 15,9 unidades. Números padrões e que atendem às expectativas.

No entanto, quando eles fizeram a mesma medição após cinco dias de dieta reversa, eles descobriram que a glicose média caiu para 10,4, muito abaixo do esperado.

 
Menina comendo pizza

Qual poderia ser a explicação para isso?

O que realmente importa não é tanto a hora do dia em que os carboidratos são consumidos, nem a duração do período anterior de falta deles.

Se deixarmos passar um longo período de tempo entre a última refeição rica em carboidratos, nosso corpo estará mais disposto a processá-los.

Isso acontece naturalmente de manhã porque tivemos um período de jejum durante toda a noite, mas este pequeno estudo conclui que efeitos semelhantes são obtidos se jejuarmos durante o dia e reservarmos os carboidratos para a noite.

O que isso significa? Depois de vários dias de café da manhã com pouco carboidrato e jantares ricos nestes, nosso corpo acaba se acostumando a responder melhor a uma carga pesada desse nutriente no final do dia.

Levando em conta esses resultados, Collins recomenda que você não se preocupe muito com a hora do dia que for comer carboidratos, desde que tenha hábitos fixos e não os inclua em todas as refeições.

Parece que a chave é manter-se constante: se consumirmos muitos carboidratos na noite anterior, seria aconselhável minimizá-lo na manhã seguinte. Por outro lado, se tivermos um forte café da manhã naquela manhã, não devemos comer macarrão no jantar.