O futuro do consumo de proteínas: insetos

23 Agosto, 2020
A ingestão de insetos é impensável para muitas pessoas de certas culturas. No entanto, a superpopulação e a falta de recursos nos levam a considerar a seguinte indagação: "você comeria insetos como fonte proteica?"

Países como a Tailândia ou o México alimentam-se de coleópteros, himenópteros ou larvas há séculos. Coloquialmente, nós os chamamos de insetos, e eles têm uma composição nutricional que poderia fornecer recursos alimentares para toda a população mundial. E, talvez, este seja mesmo o futuro do consumo de proteínas.

Nosso planeta e seus seres evoluem constantemente. Às vezes, as circunstâncias nos forçam a agir em busca da sobrevivência. Mais e mais pessoas estão habitando a terra. Sendo assim, pode chegar um dia em que não tenhamos uma porção diária completa dos alimentos que nos atraem tanto.

O futuro do consumo de proteínas

Dados preditivos para a alimentação humana

Se tudo continuar como está agora, a humanidade em dez anos terá aproximadamente 10 bilhões de habitantes. Nesse caso, ainda não sabemos se a produção de matérias-primas, como carnes, legumes ou sementes, pode fazer frente ao número de consumidores.

Portanto, os governos devem preparar uma série de sistemas ou diretrizes que ajudem ​​a sobrevivência da humanidade em termos de recursos alimentares. Com isso, temas como impressão 3D de alimentos, edição genética de vegetais e exploração de algas estão sendo abordados.

No entanto, hoje falaremos sobre um recurso que vemos e temos disponível no nosso dia a dia. Inclusive, muitos o consideram nojento e desagradável: os insetos.

Insetos, pequenos e feios, mas benéficos

Existem insetos de vários tipos e tamanhos: voadores, com ferrões, em forma de larva e até venenosos em seu estado natural. A seguir, detalhamos quais qualidades nutricionais eles têm para os seres humanos e até mesmo seus benefícios para o meio ambiente:

Ótima fonte para o consumo de proteínas e minerais

Para cada 100 gramas de insetos, entre 10 e 20 gramas são recursos proteicos. Seus níveis de gordura variam de 0 a 10 gramas. Além disso, grande parte de seus componentes são água e vários minerais básicos para a saúde humana, como cálcio e ferro.

Comer insetos pode ser uma necessidade no futuro devido à escassez de alimentos.

Exemplos nutricionais de insetos:

  • Gafanhoto ou grilo: para cada 100 gramas, eles contêm 20 gramas de proteína, 6 gramas de gordura, 4 gramas de carboidratos, 70 gramas de água e 150 calorias.
  • Vermes: 100 gramas desses insetos têm 18 gramas de proteína, 8 gramas de gordura, 2 gramas de carboidratos, 68 gramas de água e 152 calorias.
  • Formigas ou cupins: também em 100 gramas, podemos encontrar 14 gramas de proteína, 1 grama de gordura, 10 gramas de carboidratos, 75 gramas de água e 105 calorias.

Existem quase dois mil quilos de insetos por habitantes

Imagine visitar o supermercado e não ter estoque do que você deseja adquirir. O volume de insetos comestíveis no mundo é enorme, praticamente sem fim se as condições ambientais forem minimamente conservadas. Mesmo se a raça humana morresse, muitos deles ainda iriam sobreviver.

Consumo de proteínas benéfico para o meio ambiente

A produção de carne de gado, um alimento existente desde o início de nossas vidas, além da emitir metano e CO2, está danificando seriamente a atmosfera. Pelo contrário, os insetos poluem muito menos. Além disso, por serem pequenos, indústrias inteiras podem ser usadas para sua criação.

Uma atividade crescente

Como já foi explicado, em muitos países você pode comprar insetos para consumir. Vários deles estão na Europa. Atualmente, alimentos com insetos podem ser comprados em alguns supermercados.

Dentro de cinco anos, cem mil toneladas de insetos serão produzidos para consumo humano nesse continente. Sem dúvida, é um negócio que atingirá um valor de bilhões no futuro.

Os insetos têm propriedades nutricionais que muitos não conhecem.

Antes de dizer que você não gosta de insetos, que tal experimentar?

Os leitores que geralmente consomem insetos não terão problemas em continuar fazendo isso. Outros podem querer comer apenas alguns tipos, como é habitual em algumas regiões. No entanto, para muitos outros, usar insetos como o futuro do consumo de proteínas produzirá uma sensação ruim.

O que acontece com pessoas que odeiam insetos? Se não houvesse outro alimento no mundo, você os comeria?

Por fim, deve-se notar que, se você não deseja chegar a esse ponto, o melhor que podemos fazer é cuidar do meio ambiente. Dessa forma, sempre poderemos ter recursos alimentares convencionais típicos de nossa região.

  • José Antonio Heredia Álvarez. Carta Económica Regional Mayo – junio, Núm. 18 (1991). http://www.cartaeconomicaregional.cucea.udg.mx/index.php/CER/article/view/7317
  • Ramos Elorduy, J. Los insectos como fuente de proteína en el futuro. México. Edit Limusa. 1987. 148 p
  • Sánchez, P; Hevia, P. Consumo de insectos, alternativa alimentaria del neotrópico. En: Boletín. Entomology. Venezuela. Vol., 12 No.1 (1997); p.125-127.
  • Los insectos como alimento humano: Breve ensayo sobre la entomofagia, con especial referencia a México.
    Insects as human food: Short essay on entomophagy, with special reference to Mexico Julieta Ramos-Elorduy B.1 y José Luis Viejo Montesinos21 Instituto de Biología, UNAM, México. relorduy@ibiologia.unam.mx. 2 Departamento de Biología. Universidad Autónoma de Madrid.
    C/. Darwin, 2, 28049 Madrid. España. joseluis.viejo@uam.es