Quais suplementos servem para melhorar o bem-estar?

O uso de suplementos nutricionais é um comportamento bastante difundido entre os atletas e a população em geral. Além da saúde física, eles também podem ser benéficos para aumentar o bem-estar psicológico.
Quais suplementos servem para melhorar o bem-estar?

Última atualização: 02 Dezembro, 2020

As pessoas motivadas a levar um estilo de vida saudável se preocupam em saber quais suplementos servem para melhorar o bem-estar. O seu acesso está ao alcance de todos, uma vez que esses produtos podem ser encontrados em qualquer supermercado, loja de produtos naturais ou farmácia.

Os suplementos podem ser tomados em diversas apresentações: em pó, em comprimido, em cápsulas… A escolha vai depender das necessidades específicas da pessoa.

O mais importante a ter em mente é que os suplementos servem para complementar a dieta, mas nunca para substituir os alimentos. Além disso, no caso do bem-estar mental, os suplementos podem ser uma ajuda complementar, mas não são uma terapia psicológica de forma alguma.

Por outro lado, a sua ingestão deve ser supervisionada por um profissional, já que algumas substâncias como o ginseng ou a erva de São João podem interagir com outros medicamentos. Ainda assim, se usados ​​corretamente, os suplementos podem fornecer benefícios à saúde e melhorar o desempenho esportivo.

Mais especificamente, existem alguns suplementos que servem para melhorar o bem-estar. A seguir, vamos dizer quais são eles e quais são os seus efeitos na saúde.

Triptofano, ajuda a descansar melhor

Descansar bem é fundamental para manter a saúde e o bem-estar. O sono não só permite a recuperação dos músculos após o treinamento, como também melhora os processos cognitivos, como, por exemplo, a memória.

O triptofano é uma molécula precursora da serotonina. Esse neurotransmissor está envolvido em diversos processos cerebrais: regula o estado de humor e a atenção e também modula o sono. Este último se deve ao fato de que a serotonina é essencial para formar a melatonina, o hormônio que controla os ritmos circadianos.

suplementos que servem para melhorar o bem-estar

Portanto, ao aumentar a ingestão de triptofano, será mais fácil obter um sono duradouro e de qualidade. Também é possível encontrar essa molécula em alimentos como leite, oleaginosas ou salmão.

Ginkgo biloba para manter o cérebro saudável

Cuidar do cérebro é uma tarefa tão importante quanto cuidar do coração. Todos os esforços para manter o cérebro saudável vão se traduzir em uma melhor qualidade de vida e um menor risco de declínio cognitivo com a idade.

Levar um estilo de vida ativo, com uma alimentação saudável e estimulação cognitiva são passos essenciais para que isso seja alcançado. Além disso, é possível manter um cuidado adicional com a suplementação de Ginkgo biloba, uma planta muito utilizada na medicina oriental.

Esta foi a conclusão de um artigo publicado na revista Cellular and Molecular Life Sciences. De acordo com o estudo, o ginkgo é um vasodilatador capaz de aumentar o fluxo sanguíneo no cérebro.

Este pode ser um fator protetor contra doenças neurodegenerativas. No entanto, as evidências não são conclusivas, por isso ainda há muito a ser investigado.

Vitamina B1 para proteger os neurônios

Todas as vitaminas são parte essencial da dieta e, por isso, estão presentes em muitos alimentos e suplementos. Porém, é muito importante consumi-las na medida certa, pois tanto o seu déficit quanto o seu excesso estão relacionados a problemas de saúde.

vitamina B1 ou tiamina está envolvida principalmente nos processos do metabolismo, mas também é a molécula responsável por proteger a membrana que reveste os neurônios. Ou seja, a ingestão adequada de vitamina B1 promove e acelera a condução dos impulsos nervosos pelos neurônios.

Essa vitamina pode ser encontrada em suplementos específicos e em uma variedade de alimentos, tais como carne de porco, gérmen de trigo e cereais integrais.

Vitamina D, uma aliada para melhorar o humor

Conforme mencionado na seção anterior, as vitaminas são nutrientes essenciais para garantir o bom funcionamento do organismo. Em particular, a vitamina D pode ser muito útil para o bem-estar mental.

A função mais conhecida da vitamina D é a de ajudar a fixar o cálcio nos ossos. O seu déficit produz o raquitismo em crianças e a osteoporose em idosos. Além disso, foi comprovado que a carência desse nutriente está relacionada ao aparecimento de distúrbios emocionais, como, por exemplo, a depressão.

suplementos que servem para melhorar o bem-estar

Um aspecto muito interessante da vitamina D é que ela pode ser obtida por meio de alimentos, suplementos e da exposição à luz solar. Sim, tomar sol diariamente, durante pelo menos 15 minutos, ajuda a aumentar os níveis dessa vitamina.

Suplementos sim, mas com supervisão

O uso dos suplementos nutricionais cresceu ao longo dos anos. O ritmo de vida acelerado das grandes cidades torna muito atraente a ideia de ficar bem nutrido apenas tomando um comprimido.

É verdade que os suplementos servem para melhorar o bem-estar, mas a sua ingestão não deve ser feita de forma descontrolada. Pelo contrário, isso sempre deve ser feito de acordo com as recomendações de um médico ou nutricionista e tendo em mente que eles são um complemento, mas não um substituto dos alimentos.

No caso da saúde mental, os suplementos não são eficazes para tratar os distúrbios psicológicos. A única maneira de tratar o sofrimento emocional é ir à terapia e trabalhar diretamente as emoções. Portanto, o uso de suplementos deve ser direcionado para a prevenção, não para o tratamento.

Pode interessar a você...
Dois suplementos alimentares para tomar após o treino
Fit PeopleLeia em Fit People
Dois suplementos alimentares para tomar após o treino

Quais suplementos alimentares eu posso tomar após o treino? A seguir, vamos detalhar duas das alternativas mais usadas pelos atletas.



  • Ahlemeyer, B., y Krieglstein, J. (2003). Neuroprotective effects of Ginkgo biloba extract. Cellular and Molecular Life Sciences CMLS, 60(9), 1779-1792.
  • Falcón, L. D. L. C. F., González, G. G., Banderas, I. M. C., Betancourt, Y. F., y Savón, A. F. (2013). Algunas consideraciones acerca de la tiamina o vitamina B1. Revista Información Científica, 81(5).
  • Parker, G. B., Brotchie, H., y Graham, R. K. (2017). Vitamin D and depression. Journal of affective disorders, 208, 56-61.