Selênio: um antioxidante para prevenir a degeneração celular

11 Dezembro, 2019
Juntamente com outros minerais, tais como ferro, sódio e potássio, precisamos do selênio no nosso corpo. Como obter esse mineral benéfico e qual é a sua relevância para o nosso bem-estar?
 

Assim como o potássio, o sódio e o ferro, entre outros, o selênio é um mineral necessário para o bom funcionamento do organismo. Mais especificamente, é um micromineral antioxidante que é adquirido através dos alimentos e das próprias reservas do corpo, localizadas no fígado.

Nos últimos tempos, o selênio ganhou relevância por causa da sua interação com a vitamina E. Quando as dietas não são equilibradas, a baixa presença desse mineral em um meio com uma alta presença de vitamina E poderia estar ligada a várias doenças, tais como o câncer de próstata, entre outras.

Embora não existam evidências conclusivas a esse respeito, há indicações de que a ausência ou a escassez de selênio no organismo apresente riscos significativos. Por exemplo, a infertilidade em homens, a artrite e inflamações nas articulações e os problemas cardíacos, tais como a doença de Keshan.

Quais são as funções que o selênio desempenha no organismo?

Como já mencionamos, a sua principal qualidade é a de ser um antioxidante. Isso significa que ele retarda o envelhecimento celular. Ao regenerar e proteger as células, os antioxidantes protegem o organismo de doenças como o câncer.

De qualquer forma, tudo o que é incorporado ao corpo a título de suplemento deve ser controlado por um especialista. Muitas pessoas, na ânsia de se protegerem contra o dano celular, optam por suplementos minerais com a presença de selênio sem saber exatamente o que ele é ou como ele funciona.

 

Na verdade, com uma dieta equilibrada, as reservas de selênio são compensadas sem ajuda externa. Este é um elemento fundamental que precisa ser incorporado às proteínas para formar selenoproteínas. Com isso, este micromineral passará a integrar as enzimas antioxidantes que combatem os radicais livres.

Basicamente, as funções do selênio são a de regular o sistema endócrino, com maior preponderância na glândula tireoide, e de ativar constantemente o sistema imunológico, que promove a produção de glóbulos brancos. No que diz respeito à tireoide, o selênio é responsável pelo seu crescimento e desenvolvimento saudáveis.

Selênio: um antioxidante para prevenir a degeneração celular
 

Estas são as principais tarefas do selênio, embora existam pelo menos outras 25 tarefas nas quais as selenoproteínas entram em ação como antioxidantes. Algumas delas são:

  • Neutralizar a nocividade de metais pesados como cádmio, arsênico, mercúrio e chumbo, por exemplo.
  • Ajudar no metabolismo de gorduras e lipídios.
  • Promover um bom crescimento das unhas e cabelos.
  • Influenciar a fertilidade masculina.

O que está incluído em uma dieta rica em selênio?

Não é necessário tomar suplementos com selênio se você deseja aumentar os antioxidantes no corpo. A reserva desse elemento que vem dos alimentos é chamada de selenometionina. Enquanto isso, a que provém do fígado e se apresenta como uma enzima hepática é conhecida como glutationa peroxidase.

 

A presença de selênio nos alimentos dependerá da quantidade do micromineral presente no solo de onde eles foram extraídos, seja o solo onde os animais pastam ou onde ficam os vegetais. No entanto, os produtos de origem vegetal contêm quantidades maiores.

Para adultos, recomenda-se a ingestão de entre 50 e 60 microgramas (mcg) de selênio por dia. Os alimentos em que há maior presença desse mineral são os cereais, as carnes e peixes, as oleaginosas e os mariscos. Os valores são diferentes para crianças e idosos.

Para que se tenha uma ideia, uma porção de 30 g de castanha do Pará contém 544 mcg desse elemento, 85 gramas de carne bovina têm 35 mcg, uma xícara de farinha de trigo integral abriga 74 mcg e uma fatia de pão branco, 4 mcg.

selênio para prevenir a degeneração celular

A fase na qual há uma maior demanda de selênio é entre os 4 e os 8 anos. As informações sobre as tabelas de proporções e alimentos para uma dieta equilibrada podem ser fundamentais para controlar a correta ingestão do mineral.

Globalmente, em países como a China, geralmente há baixa quantidade de selênio nos alimentos, devido ao tipo de solo. Por consequência, a propensão a doenças cardíacas é maior, bem como a um sistema imunológico enfraquecido ou ao hipotireoidismo.

 

Em conclusão

O selênio como antioxidante é adquirido naturalmente através de uma dieta variada. Somente no caso de algumas doenças crônicas, ligadas principalmente a problemas de absorção, é que são necessários suplementos de selênio.

De qualquer forma, em caso de dúvida, o melhor a fazer é buscar informações em fontes especializadas.

  • National Institutes of Health. Datos sobre el selenio. Extraído de: https://ods.od.nih.gov/pdf/factsheets/Selenium-DatosEnEspanol.pdf
  • Institutos Nacionales de la Salud / Biblioteca Nacional de Medicina de los EE. UU. El selenio en la dieta. Extraído de: http://e-lactancia.org/media/papers/Selenio_en_la_dieta_MedlinePlus2017.pdf