Tipos de carboidrato: isso realmente importa?

30 Dezembro, 2019
Você sabia que nem todos os carboidratos são iguais? Neste artigo, vamos explicar sobre os seus diversos tipos e as diferenças na nossa alimentação.
 

Geralmente classificamos os alimentos de acordo com o nutriente que eles têm em maior proporção. No entanto, você deve saber que esses nutrientes nem sempre são iguais e têm várias versões. Isso acontece com os tipos de carboidrato: não basta saber a proporção que eles contêm, mas a que categoria eles pertencem.

Quando pensamos nesse nutriente, a primeira coisa que vem à nossa mente são os cereais. No entanto, existem muitos outros alimentos que também o contêm. De fato, você vai se surpreender ao analisar os diferentes tipos de carboidrato e você verá como nem todos são iguais.

Além disso, você também perceberá que é muito importante saber escolher os carboidratos corretos, de acordo com a hora do dia e as necessidades de cada pessoa.

Tipos de carboidrato

A seguir, vamos descrever os diferentes tipos de carboidrato e como cada um deles afeta o nosso corpo. Além disso, também veremos quais são os alimentos que os contêm.

Carboidratos simples

Primeiramente, encontramos os carboidratos simples, ou também chamados de carboidratos de rápida absorção. Eles recebem esse nome porque são formados por uma estrutura química de um ou dois açúcares.

Por serem tão simples, o corpo não leva muito tempo para digeri-los e, assim, eles são assimilados rapidamente. Dentre os carboidratos simples, é possível distinguir dois tipos:

Monossacarídeos

A sua estrutura química possui apenas um açúcar. É por isso que eles têm um sabor muito doce, como é o caso das frutas, dos vegetais como o tomate ou dos laticínios. Dentro do grupo dos monossacarídeos, estão a glicose, a frutose e a galactose.

 

Tipos de carboidrato

Dissacarídeos

A sua estrutura química é composta por dois açúcares. É por isso que o nosso corpo precisa dividi-los em dois açúcares individuais. De qualquer forma, esse é um trabalho muito simples, que é feito sem necessidade de um grande esforço.

O mais conhecido de todos os dissacarídeos é a sacarose. Ela é extraída da cana de açúcar e é amplamente utilizada pelo seu poder adoçante. Além dela, também existem a lactose e a maltose, encontradas em laticínios e sementes, respectivamente.

Carboidratos complexos

Os carboidratos complexos ou de absorção lenta são compostos por cadeias de monossacarídeos. Assim como dissemos antes, eles precisam ser decompostos pelo nosso corpo até chegar a uma forma mais simples.

É por esse motivo que esse tipo de carboidrato leva mais tempo para ser absorvido. Dentre os carboidratos complexos, encontramos dois tipos.

O primeiro é o amido, associado a alimentos de origem vegetal. Alguns dos alimentos mais ricos nesse tipo de carboidrato são as batatas, os cereais ou as leguminosas.

Por outro lado, há o glicogênio, que pode ser encontrado nos cereais, nas frutas ou nas leguminosas. A função que ele desempenha é muito importante, especialmente para os atletas.

 

O glicogênio atua como uma reserva e fica preparado para os momentos em que o corpo precisará dele. Ou seja, quando há um esforço extra, ele é liberado pelo corpo e, assim, há uma carga extra de energia.

Que tipos de carboidrato são melhores?

Depois de ler esta análise dos diferentes tipos de carboidrato, você certamente está se perguntando quais devem ser consumidos. Mas não há nenhuma razão para escolher entre eles.

Não existem carboidratos saudáveis ​​e carboidratos prejudiciais. De fato, o melhor a fazer é combinar a ingestão de ambos os tipos para ter uma vida saudável e a energia necessária.

Tipos de carboidrato

Tudo o que você deve ter em mente é que eles devem ser consumidos com moderação. É um erro pensar que um excesso de carboidratos fornecerá mais energia. Na verdade, o que acontece nesses casos é que aqueles que não são queimados se transformam em gordura. Como resultado, ocorre o aumento de peso.

Em resumo, consuma a quantidade adequada, dependendo de você precisa de energia para várias horas ou apenas para um curto período de tempo.

Além disso, lembre-se de que você deve consumir os nutrientes na mesma proporção em que eles serão queimados. Assim, pessoas que praticam esportes de alta intensidade não devem ingerir a mesma quantidade que aquelas que levam uma vida sedentária.

 
  • J Martaix, & F Sánches. (2008). Hidratos de carbono. Bioquímica.
  • Young, C. C. (2008). Metabolismo de Los Hidratos de Carbono. American Journal of Public Health15(3), 250–250. https://doi.org/10.2105/ajph.15.3.250-a