Hidratação no ciclismo: água ou bebida isotônica?

21 Outubro, 2020
Usar uma bebida esportiva com cafeína é uma estratégia útil para prevenir o aparecimento da fadiga.

A essa altura, ninguém mais duvida da importância da hidratação para o desempenho esportivo em esportes diversos, como a corrida ou o ciclismo. Isso é verdade principalmente se estivermos falando de esportes de longa duração

A ingestão de líquidos e eletrólitos se torna fundamental para evitar complicações quando o exercício se alonga no tempo. Hoje, vamos falar de um dos esportes de longa duração por excelência: o ciclismo.

A ingestão de água é suficiente durante esse tipo de atividade esportiva? Ou será que também é necessário adicionar sais minerais e nutrientes?

A importância da hidratação

A hidratação no ciclismo

A partir de 20 minutos depois do início da prática esportiva, devemos começar a fazer uma ingestão regular de líquidos. Isso serve para evitar as quedas no desempenho causadas pela desidratação, já que a sede pode ser um sinal muito tardio para começar a beber água.

literatura científica assegura a importância da ingestão regular de água fresca durante os eventos esportivos. Quando falamos em eventos de curta duração, a água mineral geralmente é o suficiente, mas esse nem sempre é o caso.

Estudos publicados recentemente afirmam que a ingestão de água com carboidratos de alto índice glicêmico pode retardar o aparecimento da fadiga em esportes de força. Por esse motivo, pode ser interessante optar por uma bebida isotônica rica em sais minerais e glicose.

A hidratação no ciclismo

A hidratação no ciclismo

O ciclismo é um esporte de longa duração, no qual há uma grande perda de líquidos e uma grande demanda por nutrientes.

Beber água regularmente durante esse tipo de prova pode prevenir problemas relacionados ao equilíbrio hídrico. No entanto, adicionar carboidratos de absorção rápida e lenta às bebidas retarda o aparecimento da fadiga e permite a economia de glicogênio muscular para uso posterior.

literatura científica valida a adição de sais minerais e carboidratos às bebidas esportivas para melhorar o desempenho.

No caso dos esportes de longa duração, os carboidratos de alto índice glicêmico devem ser combinados com outro de baixo índice para, dessa forma, maximizar a economia de glicogênio e manter uma curva de glicose estável durante a prova.

Por esse motivo, a bebida isotônica geralmente costuma ser uma opção melhor do que a água. Além disso, esse tipo de produto contém uma grande quantidade de sais minerais nas proporções exatas para prevenir as câimbras e a hiponatremia, que podem ser fatais.

Cabe destacar que a necessidade de ingestão de líquidos varia de acordo com as condições climáticas. Em climas quentes e úmidos, é necessário se hidratar com mais frequência, pois a perda de água e sais minerais é maior.

Os perigos da desidratação

A perda de água corporal pode trazer muitas complicações associadas. Geralmente, uma série de sintomas se manifesta antes que a desidratação se torne preocupante ou fatal. Eles costumam ser os seguintes:

  • Fadiga
  • Tontura
  • Náusea
  • Dor de cabeça
  • Aumento da temperatura corporal

Quaisquer desses processos podem indicar que o volume de água no organismo não está adequado. Para evitar essas situações, é fundamental se hidratar com frequência durante a prática esportiva. Mais ou menos a cada 30 minutos, é preciso ingerir cerca de 200 mililitros de líquido.

Além disso, quando falamos sobre a hidratação no ciclismo, existem outras substâncias que podemos usar nas nossas bebidas para melhorar o desempenho. Uma delas é a cafeína, que melhora a eficiência do metabolismo aeróbico e retarda o aparecimento da fadiga em esportes de longa duração, de acordo com a literatura científica.

Lembre-se…

A ingestão de líquidos deve ser um hábito comum durante a prática esportiva. Assim, vamos evitar a desidratação, que pode ser fatal.

Quando falamos de esportes de longa duração, como, por exemplo, o ciclismo, o consumo de água pode não ser o suficiente. Durante esse tipo de prova existem demandas por nutrientes e minerais que devem ser atendidas para evitar déficits e quedas no desempenho.

Por esse motivo, uma bebida isotônica com carboidratos de alto e baixo índice glicêmico geralmente é a melhor opção. É interessante consumir essas preparações levemente geladas para acelerar o esvaziamento gástrico e evitar problemas relacionados ao desconforto estomacal.

Além disso, também é possível considerar a adição de cafeína às bebidas para melhorar o desempenho e reduzir o aparecimento da fadiga.

Por fim, é importante destacar a importância de se reidratar adequadamente uma vez que a prova tiver sido concluída. O ideal seria ingerir 150% do peso perdido em forma de líquido durante as 6 horas posteriores ao exercício.

  • Nuccio RP., Barnes KA., Carter JM., Baker LB., Fluid balance in team sport athletes and the effect of hypohydration on cognitive, technical and physical performance. Sports Med, 2017. 47 (10): 1951-1982.
  • Dragusin IB., Horswill CA., Does sport drink use during exercise promote an acute positive energy balance? Int J Sport Nutr Exer Metab, 2016. 26 (5): 428-434.
  • Rowlands DS., Houltham SD., Multiple transportable carbohydrate effect on long distance triathlon performance. Med Sci Sports Exerc, 2017. 49 (8): 1734-1744.
  • Suzuki K., Hashimoto H., Oh T., Mitsuda H., Peake JM., et al., The effects of sports drink osmolality on fluid intake and immunoendocrine responses to cycling in hot conditions. J Nutr Sci Vitaminol (tokyo), 2013. 59 (3): 206-12.