Maracanaço: quase 70 anos do jogo histórico

A repercussão dessa partida foi tanta que muitas pessoas até mesmo cometeram suicídio de tanta angústia.
Maracanaço: quase 70 anos do jogo histórico

Última atualização: 13 Abril, 2020

Mesmo tanto tempo depois da fatídica partida, ainda se fala do “Maracanaço do Uruguai” na Copa do Mundo de 1950. No artigo a seguir, vamos relembrar esse feito da equipe uruguaia contra o Brasil no Estádio do Maracanã.

Copa do Mundo do Brasil de 1950

A quarta edição da Copa do Mundo foi realizada no Brasil em 1950, depois que as edições de 1942 e 1946 foram suspensas por conta da Segunda Guerra Mundial. A competição foi nomeada “Jules Rimet” em homenagem ao francês que era presidente da FIFA naquela época.

Nessa Copa do Mundo, 13 equipes jogaram: 6 da Europa e 7 da América. O retorno do Uruguai — que havia participado apenas da primeira Copa do Mundo de 1930, organizada em seu país — e a estreia da Inglaterra foram os fatos mais marcantes antes da competição.

A edição de 1950 foi a única em que não houve partida final. O formato era o seguinte: os participantes foram divididos em quatro grupos e tiveram que se enfrentar uma vez. O primeiro de cada grupo se classificou para um grupo especial, no qual também jogavam no esquema todos contra todos.

A Copa do Mundo foi realizada em seis estádios: Maracanã, no Rio de Janeiro; Ilha do Retiro, em Recife; Pacaembu, em São Paulo; Independência, em Belo Horizonte; Durival de Britto, em Curitiba; e Eucaliptos, em Porto Alegre.

A fase final

Os times que passaram para a segunda fase foram (em ordem de grupos): Brasil, Espanha, Suécia e Uruguai. O Brasil começou vencendo por 7 a 1 os suecos e o Uruguai empatou em 2 a 2 contra os espanhóis.

Time do Uruguai.
A equipe do Uruguai que foi responsável pelo Maracanaço. Imagem: peñarol.org

O Brasil voltou a golear no segundo jogo — 6 a 1 contra a Espanha — e o Uruguai venceu por 3 a 2 a Suécia. No último jogo, os suecos derrotaram a Espanha por 3 a 1, em São Paulo, enquanto no Maracanã a seleção canarinho encarava a celeste.

O Maracanaço do Uruguai

Em 16 de julho de 1950, foram disputadas as duas últimas partidas da Copa do Mundo, embora muitos acreditem que aquela partida entre Brasil e Uruguai tenha sido a final da Copa. Diante de 200.000 espectadores, o time brasileiro era o favorito, pois não havia perdido nenhum jogo e foi o time que mais marcou gols no torneio.

Por outro lado, o Uruguai, embora tivesse sido um dos mais times bem-sucedidos do mundo, era considerado o time mais fraco do jogo.

Naquela manhã, os brasileiros estavam confiantes de que já eram campeões e muitos jornais — não apenas os esportivos — exibiam manchetes que faziam alusão a vitória dada como certa. Até carros alegóricos de carnaval estavam preparados para a comemoração do triunfo!

A certeza de que o Brasil venceria a partida e se consagraria campeão era tão grande que o corpo diplomático uruguaio teria se reunido com os jogadores da seleção de seu país e pedido para que sofressem “uma derrota digna”, pelo menor número de gols possível.

Como aconteceu o Maracanaço

O técnico uruguaio organizou uma formação defensiva para evitar a goleada, já que a seleção brasileira já havia habituado o público a elas. A primeira surpresa ocorreu quando, após os primeiros 45 minutos, as duas equipes foram para o vestiário sem marcarem gols.

Isso era suficiente para a seleção brasileira se tornar campeã. Entretanto, aos dois minutos do segundo tempo, Friaça marcou o primeiro gol da partida e a festa começou no Maracanã (e em todo o país).

Gol do Uruguai no Maracanaço.
O gol de Ghiggia que determinou o jogo.

Apesar disso, o Uruguai mostrou que não desistiria tão facilmente. Aos 21 minutos, Juan Alberto Schiaffino empatou o placar. É provável que por ainda serem campeões com o placar empatado, os brasileiros tenham se descuidado no jogo.

Aos 34 minutos, depois de uma jogada muito bem armada de Obdulio Varela, Alcides Ghiggia marcou o segundo gol do Uruguai e fechou a partida. O Maracanaço do Uruguai aconteceu! Os minutos finais foram angustiantes, porque o Brasil tentou empatar de qualquer maneira, sem sucesso.

Dessa forma, o Uruguai se tornou não apenas campeão do mundo — pela segunda vez —, mas também virou um jogo desfavorável na casa do adversário. As repercussões foram impressionantes. Os brasileiros ainda afirmam que foi a pior tragédia da história do futebol, a derrota esportiva mais humilhante da história.

Por fim, mais um fato interessante: o Estádio do Maracanã tinha uma fachada sem pintura quando a Copa do Mundo começou. Decidiu-se esperar para usar a cor do time que se tornasse campeão. Por isso, a cor das colunas do Maracanã é o azul-claro, em homenagem à camisa uruguaia!

Pode interessar a você...
Relembre a grande carreira de Paolo Maldini
Fit PeopleLeia em Fit People
Relembre a grande carreira de Paolo Maldini

Paolo Maldini foi capitão tanto do Milan quanto da seleção italiana. Ele participou de quatro Copas do Mundo e jogou 24 temporadas consecutivas.