Roberto Bautista Agut: carreira e estilo de jogo

O golpe ofensivo com a direita é a principal arma de Roberto Bautista, embora ele também saiba defender muito bem cada ponto. Após anos de ascensão lenta, porém ininterrupta, o espanhol alcançou a sua melhor posição no ranking nesta temporada.
Roberto Bautista Agut: carreira e estilo de jogo

Última atualização: 05 Abril, 2021

Roberto Bautista Agut é um tenista espanhol dos mais experientes, que tem o mérito de estar entre os vinte melhores jogadores do mundo durante os últimos anos. A seguir, vamos repassar as suas maiores realizações esportivas e o estilo de jogo que o caracteriza.

Embora todos os olhares tenham se voltado para ele por causa do seu desempenho extraordinário na última edição de Wimbledon – na qual ele chegou às semifinais –, a carreira profissional de Roberto Bautista começou em 2009. Seu primeiro torneio oficial foi o ATP 500 de Valência.

Desde então, o espanhol nascido em Castillón de la Plana, em 14 de abril de 1988, foi aprimorando as suas apresentações gradualmente, enquanto subia posições no ranking da ATP. Em maio de 2010, ele já havia entrado para o top 200 do circuito, alcançando o top 100 em agosto de 2012.

O estilo de jogo de Roberto Bautista Agut 

Se fôssemos resumir as virtudes deste espanhol em algumas linhas, poderíamos primeiramente destacar a sua direita firme e poderosa, sobretudo em golpes planos. No entanto, a sua destreza defensiva e a facilidade que ele tem para contra-atacar do fundo também são dignas de destaque. Quanto ao backhand, ele usa um golpe com as duas mãos.

Por outro lado, Bautista Agut também é muito eficiente no saque. De fato, ele foi um dos jogadores de maior destaque do circuito em 2013 em termos de porcentagem de primeiros saques bem-sucedidos. Precisamente, é isso que permite que ele tome a ofensiva durante os pontos e faça uso da sua direita.

Roberto Bautista Agut: carreira e estilo de jogo

Realizações esportivas

Em 2013, ele chegou à sua primeira final no circuito: foi no ATP 250 de Chennai. Nesse compromisso, ele caiu no duelo decisivo contra Janko Tipsarevic. Um ano depois, em 2014, ele levantaria o seu primeiro troféu: o ATP 250 de S’Hertogenbosch. Na grama holandesa, ele venceu Benjamin Becker na final.

Pouco tempo depois, ele confirmaria o seu crescimento com um novo título, dessa vez no saibro. Ele se consagrou no ATP de Stuttgart, depois de vencer Lukas Rosol. Anteriormente, ele havia jogado a semifinal do Masters 1000 de Madri, quando foi derrotado por Rafael Nadal.

Nos anos seguintes, ele iria ratificar o seu processo de melhoria com duas consagrações por temporada. Roberto Bautista Agut ficou com os seguintes títulos:

  • Em 2016, ele foi campeão do ATP 250 de Sofia e do ATP 250 de Auckland, ambos em superfície dura.
  • Na temporada de 2017, ele ganhou o ATP 250 de Winston-Salem  e, finalmente, o de Chennai, onde havia perdido a sua primeira final da ATP.
  • O ano de 2018 trouxe dois novos títulos para o espanhol: em Auckland, um torneio que ele já havia vencido anteriormente, e no ATP 500 em Dubai.

Até agora, a temporada de 2019 foi muito positiva para Bautista. Ele não apenas começou o ano vencendo no ATP 250 em Doha, como também obteve o seu melhor desempenho em um Grand Slam e alcançou o 13º lugar no ranking mundial pela primeira vez na sua carreira.

Roberto Bautista Agut na Copa Davis

Sua primeira convocação foi para a final da Copa Davis 2012, na qual o time espanhol perdeu para a República Tcheca. Roberto Bautista Agut foi o quinto homem desse grupo, mas não atuou nas séries decisivas da competição.

Roberto Bautista Agut: carreira e estilo de jogo

Dois anos depois, em 2014, ele recebeu a sua primeira convocação para a equipe titular. No entanto, ele não conseguiu vencer nenhum dos dois jogos que disputou. Naquele ano, a equipe espanhola foi rebaixada da categoria principal dessa competição, para a qual retornou em 2017.

Desde então, Roberto Bautista participou de todas as edições seguintes pela seleção do seu país. Em 2018, ele alcançou a sua melhor marca na competição, depois de chegar às semifinais, momento no qual foi derrotado pela França. No total, ele soma 9 vitórias e 6 derrotas desde a sua estreia nesta copa.

Com tudo o que foi mencionado, é possível ver que a carreira deste tenista espanhol sempre foi de pior para melhor. Roberto Bautista não teve tanta facilidade quanto outros prodígios do tênis atualmas devido ao treinamento, perseverança e vontade, ele conseguiu se colocar entre os melhores. E isso não é tudo, pois ele ainda tem muito a oferecer.

Pode interessar a você...
As melhores viradas da história do tênis
Fit PeopleLeia em Fit People
As melhores viradas da história do tênis

A seguir, vamos apresentar alguns exemplos das melhores viradas do tênis, que mostram que nada está perdido até o jogo terminar.