Como praticar o Chi Kung?

Com o Chi Kung, uma disciplina oriental chinesa ligada ao Taoismo e ao Budismo, podemos melhorar a saúde mental e física. Saiba do que se trata e os seus benefícios.
Como praticar o Chi Kung?

Última atualização: 23 Dezembro, 2020

Também conhecido como Qigong, o Chi Kung é um conjunto de técnicas relacionadas à medicina tradicional chinesa. Ao praticar Chi Kung, estão incluídos  exercícios para a mente, para a respiração e exercícios físicos, uma vez que o objetivo geral é manter a saúde.

No entanto, para as tradições taoista e budista, o Chi Kung é também um método que permite que aqueles que o praticam alcancem a iluminação. Se nos basearmos na tradução, podemos dizer que se trata do ‘trabalho da energia vital’ que as culturas asiáticas tanto enfatizam.

O que é o Chi Kung

Podemos colocar o Chi Kung no mesmo grupo do Reiki e do Tai Chi, já que todas estas são terapias orientais tradicionais cujo objetivo é canalizar a energia vital corretamente através dos meridianos que percorrem o corpo.

Existem muitos sistemas para praticar o Chi Kung ou Qigong, seja com o corpo parado ou em movimento. Os exercícios mais antigos dessa técnica datam da dinastia Zhou, no século VI a.C.

Podemos encontrar diversos sistemas populares de Qigong (cerca de 20), mas o mais popular e praticado é o Wuqinxi ou ‘jogo dos cinco animais’. O criador foi um médico chamado Hua Tuo e ele emula os movimentos do tigre, do veado, do macaco, do urso e da garça. Cada um tem as suas características, atitudes e espíritos.

Ao praticar o Chi Kung, trabalha-se na unificação do corpo e da mente. Por um lado, isso permite se acalmar e concentrar nos pensamentos e na respiração. Além disso, é preciso atenção aos movimentos, assim como acontece no Yoga.

Quais são os benefícios do Chi Kung?

o Chi Kung

Essa milenar ginástica terapêutica pode nos ajudar em muitos níveis: mental, físico, emocional e espiritual, conforme afirma um estudo publicado pelo American Journal of Health Promotion.

Em nível mental, a técnica orienta a energia interior, reduz os pensamentos negativos e as preocupações. Além disso, também regula o sono, aumenta a clareza mental e a capacidade de memória. Cabe destacar que o estudo citado comprova apenas os benefícios associados ao descanso.

Em nível físico, Chi Kung estimula a função dos órgãos internos, melhora o trânsito intestinal, aumenta a flexibilidade, evita os problemas típicos do sedentarismo, exercita os músculos e ativa a circulação sanguínea.

Ao contrário dos benefícios para a mente, quase todas as consequências físicas já foram evidenciadas pela ciência.

No que diz respeito ao plano emocional, a atividade regula a circulação dos meridianos e órgãos internos em relação aos sentimentos. De acordo com a teoria dos cinco elementos, a euforia fica armazenada no coração, a preocupação no baço, a raiva no fígado, o medo nos rins e a tristeza no pulmão.

Por fim, a nível espiritual, a tradição afirma que a sua prática é necessária para estar em harmonia com a natureza, desenvolver as qualidades humanas, manter hábitos saudáveis ​​e melhorar a qualidade de vida.

Como praticar o Chi Kung

A essência do Chi Kung é sincronizar três processos vitais: corpo, mente e respiração. A prática requer três passos, sendo o primeiro o relaxamento por meio do controle do corpo.

O próximo passo é regular a respiração para que ela seja constante e tranquila. Existe um guia com oito maneiras de respirar. As palavras-chave são: tranquila, suave, profunda, longa, contínua, uniforme, lenta e delicada.

Por fim, procedemos com o controle da mente, para também poder relaxar o corpo e respirar com sucesso. A seguir, vamos apresentar alguns exercícios básicos de Chi Kung, uma ótima maneira de entrar em contato com a técnica:

1. Exercício de tonificação

Em pé, levante os braços enquanto inspira pelo nariz. Abra os braços e então os abaixe enquanto expira lentamente pela boca. Por fim, flexione os joelhos e mantenha as costas retas durante o exercício.

2. Exercício de sedação

Para começar, inspire pelo nariz e afaste os braços do corpo. Então, expire pela boca enquanto leva os braços à frente do peito.

o Chi Kung

3. Exercício de alongamento

Primeiramente, inspire pelo nariz e estenda os braços para cima, apontando para o céu. Então, incline-se um pouco para trás para estender bem os joelhos e a coluna. Por fim, expire pela boca e leve o corpo para a frente, para que as pernas, os braços e as costas relaxem. Mantenha cada postura durante 20 a 45 segundos.

Qual é a diferença entre o Tai Chi e o Chi Kung?

Muitos se perguntam qual é a diferença entre o Chi Kung e o Tai Chi. Embora ambas as modalidades trabalhem a postura e a respiração com movimentos lentos e coordenados, existem algumas características que as diferenciam.

Qigong ou Chi Kung é a “mãe” do Taichi, pois possui mais de 3600 anos de história. Este último é considerado uma forma avançada do seu antecessor. Além disso, o Qigong tem como objetivo prevenir doenças, enquanto o Tai Chi busca melhorar a saúde e a defesa pessoal.

Além disso, devemos considerar que os exercícios de Chi Kung podem ser aprendidos em pouco tempo. Já os do Tai Chi requerem a prática de cinco técnicas tradicionais: Chen, Wu, Yang, Sun e Wu.

Finalmente, Qigong pode ser praticado tanto em pé quanto sentado, e cada exercício é realizado apenas uma vez por sessão. Em contraste, no Tai Chi, os exercícios são feitos em pé e são programados de acordo com as sequências de movimentos memorizadas.

Pode interessar a você...
Tai Chi Chuan: como utilizar para melhorar o equilíbrio?
Fit PeopleLeia em Fit People
Tai Chi Chuan: como utilizar para melhorar o equilíbrio?

O Tai Chi Chuan é uma arte marcial baseada em movimentos realizados de maneira lenta e precisa. Entre outros benefícios, é útil para melhorar o equ...



  • Barrow DE, Bedford A, Ives G, et al. 2007. An evaluation of the effects of Tai Chi Chuan and Chi Kung training in patients with symptomatic heart failure: a randomised controlled pilot study. Postgraduate Medical Journal. https://pmj.bmj.com/content/83/985/717
  • Jahnke, R., Larkey, L., Rogers, C., Etnier, J., & Lin, F. (2010). A comprehensive review of health benefits of qigong and tai chi. American Journal of Health Promotion : AJHP, 24(6), e1–e25. https://doi.org/10.4278/ajhp.081013-LIT-248