A eficácia do alongamento é maior antes ou depois do exercício?

16 Março, 2020
Você é daqueles que se alongam antes e depois do treino? O que você pensaria se disséssemos que muitos especialistas questionam a importância desses exercícios e os seus supostos benefícios?
 

Desde que uma pessoa começa a praticar esportes, seja na infância, adolescência ou na idade adulta, ela escuta sobre a relevância do alongamento antes e depois das sessões de exercícios. No entanto, existem especialistas que questionam a eficácia do alongamento para evitar lesões. O que se sabe sobre essa teoria?

As declarações científicas que tentaremos explicar no artigo a seguir não pretendem eliminar os postulados que afirmam que o alongamento é uma parte fundamental da atividade física. Da mesma forma, também não procuramos defender essa teoria contra outras alternativas possíveis.

Queremos simplesmente lançar luz sobre pesquisas talvez pouco conhecidas, que apresentam um olhar diferente daquele que historicamente tivemos sobre esses exercícios.

Aliás, essa visão histórica é aquela que a maioria dos treinadores ainda mantém hoje, e é justamente isso que torna polêmicas as suposições que questionam esse conhecimento estabelecido.

A pesquisa que questiona a eficácia do alongamento

referido estudo foi conduzido por um grupo de cientistas americanos em 2004. Ele foi publicado na 36ª edição do Medicine & Science in Sports and Exercise Journal (em português, Revista de Ciências e Medicina do Esporte e do Exercício) de março daquele ano.

O objetivo da pesquisa era avaliar a eficácia do alongamento como um recurso para prevenir lesões no contexto do treinamento esportivo e do exercício.

Metodologia

Esses especialistas examinaram a literatura sobre o assunto e contataram outros cientistas que haviam realizado pesquisas semelhantes no passado. A maioria dos estudos analisados ​​comparou o quão útil era o alongamento em comparação a outras práticas preventivas.

 
A eficácia do alongamento antes e após o exercício

Cabe ressaltar que os autores do estudo utilizaram parâmetros estabelecidos e padronizados para medir a qualidade das informações fornecidas, bem como as diferentes interpretações que poderiam ser derivadas de seus achados.

Conclusão

Então, o que eles descobriram após essa observação detalhada? Primeiramente, eles descobriram que o alongamento não estava diretamente relacionado à redução no número de lesões.

Além disso, nos diferentes subgrupos estudados, foram encontradas taxas de lesão semelhantes. Se o alongamento fosse um fator preponderante, o número de pessoas com problemas físicos deveria ser maior nos subgrupos em que esses exercícios eram feitos em menor grau ou então não eram feitos.

Assim, como conclusão, esses pesquisadores afirmam que não há evidências suficientes para tirar conclusões sobre a eficácia do alongamento para a prevenção de lesões, tanto para os atletas profissionais quanto para os amadores.

Outros questionamentos semelhantes quanto à eficácia do alongamento

No ano seguinte, o cientista L. Hart publicou uma pesquisa semelhante na mesma revista especializada. Neste documento, ele afirmou que não foram encontradas evidências diretas dos exercícios de alongamento específicos e gerais na taxa de lesões do grupo de atletas estudados.

 

Da mesma forma, outras publicações de especialistas como o cinesiologia chileno Pablo Neira também questionam os supostos benefícios que sempre foram atribuídos a essa prática.

De fato, este é um tipo de exercício que geralmente causa relaxamento e até mesmo prazer. No entanto, existem muitos ‘mitos’ que, segundo esse especialista, não são tão verdadeiros quanto pensamos. Entre eles, destacam-se:

‘Melhora a flexibilidade ‘

O suposto benefício de aumentar essa capacidade através do alongamento não é tão real. Primeiramente, porque nem sempre fazer alongamento é sinônimo de trabalhar a flexibilidade.    

Por outro lado, essa habilidade também não é indispensável, desde que estejamos falando de alguém com bom condicionamento físico. De fato, em esportes como a corrida, ela pode até mesmo ser contraproducente.

‘A eficácia do alongamento permite que os músculos se aqueçam’

De acordo com a visão desse especialista, a eficácia do alongamento para o aquecimento não só é quase nula, como pode até mesmo ser negativa. Portanto, o melhor para se aquecer é fazer a mesma atividade que será realizada posteriormente, mas com um ritmo mais lento.  

A eficácia do alongamento antes e após o exercício
 

‘Alivia dores musculares’

Em última análise, a utilidade do alongamento para aliviar as dores musculares também é questionada. Por quê? Porque a dor e a fadiga aparecerão de qualquer maneira se a atividade física realizada for intensa. Ainda assim, alongar e receber massagens pode representar um alívio temporário, mas não uma solução total.

Com tudo isso, fica clara a postura alternativa que geralmente ouvimos sobre o alongamento. O debate está aberto e os profissionais ainda estão analisando os benefícios e malefícios desses exercícios. Pessoalmente, você considera que a eficácia do alongamento é importante para o seu bem-estar físico?

 
  • Thacker SB, Gilchrist J, Stroup DF, Kimsey CD Jr. 2004. The impact of stretching on sports injury risk: a systematic review of the literature. Med Sci Sports Exerc. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/15076777
  • Hart L. Effect of stretching on sport injury risk: a review. Clin J Sport Med. 2005 Mar;15(2):113. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/15782063
  • Pablo Neira Stegmaier. 4 mitos derribados sobre los beneficios de la elongación. El Definido. https://www.eldefinido.cl/actualidad/pais/9872/4-mitos-descartados-sobre-los-beneficios-de-la-elongacion/