Treinar com telefone celular, vale a pena?

13 Maio, 2020
As tecnologias nos fizeram avançar em muitos aspectos. No entanto, será que é prejudicial ficar no celular enquanto realizamos outra atividade? Hoje vamos resolver essa dúvida e dar algumas dicas para você aproveitar ao máximo seu tempo.
 

Muitos de nós passam muitas horas esperando mensagens, fazendo chamadas e em interações nas redes sociais. No entanto, essa situação é conveniente durante o treino? Treinar com telefone celular, vale a pena?

Algumas pessoas prestam muita atenção a esses dispositivos durante o treinamento, enquanto outras o ignoram completamente. No entanto, o celular pode interferir em nossos objetivos de treino, lazer e saúde, tanto positivamente quanto negativamente.

Bom uso do telefone celular durante o treinamento

Quase tudo pode ser usado para o benefício de um usuário. No caso do celular, isso pode ser feito desde que essa pessoa não seja obcecada e dedique toda sua atenção ao aparelho. Isso se aplica não apenas ao treinamento diário, mas também ao trabalho, família, amizade e até nas horas de descanso.

Treinar com telefone celular: tecnologias para fazer medições

O celular é um ótimo recurso para medir as calorias queimadas enquanto treinamos. Também é ótimo para contar os passos dados diariamente ou os quilômetros percorridos ao praticar corrida.

Outra de suas utilidades é a medição da frequência cardíaca em repouso. Além disso, enquanto treinamos, ele pode ser útil para dar diretrizes de treinamento corretas. Dessa forma, o celular torna mais fácil quantificar a sessão corretamente.

Tudo isso pode ser feito através de aplicativos gratuitos ou pagos. Além disso, há medidas automáticas feitas diretamente com sensores ou através de um aparelho específico. Exemplos desse último método são os sensores de frequência cardíaca peitoral ou de pulso com tecnologia bluetooth.

 

O celular é um recurso para conhecer treinamentos

Graças à internet, podemos acessar artigos sobre modelos de treinamento e outros tipos de recomendações sobre saúde e exercícios. O fato de poder recorrer a eles durante o treinamento é um recurso que o ajudará a solucionar suas possíveis dúvidas.

Os melhores aplicativos para você se exercitar

Além disso, você pode encontrar vídeos com aulas explicadas. Assim, é possível conhecer passo a passo os movimentos corretos em cada exercício e as séries de treinamento para obter uma forma física ideal.

Treinar com telefone celular: receber mensagens motivadoras

Segundo estudos da psicologia do comportamento, ao receber uma mensagem que produz entusiasmo ou felicidade, secretamos substâncias cerebrais que nos proporcionam um estado de humor favorável para as atividades daquele momento.

Mas cuidado, esta é uma faca de dois gumes. Se recebermos uma notícia trágica ou desagradável, nossa concentração em relação ao exercício poderá piorar e poderemos acabar abandonando a sessão de treinamento. Dizem que aquilo que os olhos não vêem, o coração não sente… mas o que vemos influencia nosso humor.

 

Uso indevido do telefone celular durante o treinamento

Como tudo na vida, falta de controle e abusos sempre geram efeitos negativos. Portanto, um uso desproporcional da telefonia móvel durante o treinamento terá efeitos negativos em nossos objetivos físicos, funcionais ou de desempenho. As consequências indesejadas mais comuns são estas:

  • Perda de atenção no exercício: segundo a ciência, focar em um exercício com a maior concentração possível faz o desempenho aumentar em até 25%. Parece mentira, certo? Mas é, isso mesmo, a distração piora a eficiência em qualquer atividade.
  • Menos tempo de treinamento: intervalos entre séries têm funções muito importantes no exercício. Aumentá-las ao atender uma chamada ou admirar os likes alcançados nas redes sociais fará com que as mudanças fisiológicas sejam diferentes daquelas que estamos procurando.
  • Preocupação constante para não quebrar o aparelho: as máquinas de treinamento ou os gestos técnicos do atleta são dinâmicos. A tela é muito frágil e, em qualquer situação desse tipo, dedicaremos parte de nossa concentração para garantir que nada aconteça com o celular.
  • Intervalos incompletos durante o treinamento: muitas pessoas acreditam que os períodos de descanso são apenas físicos. Isso é um erro: a mente também deve descansar nesses momentos. Um processo mental também envolve gastos de energia. Nesse sentido, usar o celular desperdiça uma energia valiosa que precisamos para continuar a sessão de treinamento.
 
  • Afeta negativamente a estabilidade e a coordenação: de acordo com outro estudo sobre desempenho e saúde, o uso do celular durante os treinamentos causa desequilíbrios e tonturas. Logicamente, isso se deve à mudança abrupta de passar de uma atividade radical em termos físicos para um processo com maior influência mental, ocular e manual.
O telefone celular pode desviar nossa atenção durante o treinamento.

Então, você prefere usar o celular ou não?

Para chegar a uma conclusão, podemos dizer que existem situações excepcionais. Por exemplo, ao aguardar uma ligação importante ou informações sobre o estado de saúde de um membro da família é natural que queiramos usar o celular. Nesses casos, é “permitido” usar o celular durante as suas atividades esportivas.

No entanto, em outras situações, nada justifica prejudicar o objetivo físico por um desvio de atenção. A grande questão de hoje é: você mudará seus hábitos para se concentrar no que é realmente importante?

Assuma o controle, defina diretrizes rígidas! Deixe seu celular na sua bolsa e em alguns dias você verá como se sente bem ao se concentrar na sessão e nas amizades em sua academia. Escolha com bom senso. Pouco a pouco, você verá como o a melhora no seu físico é muito maior sem a distração causada pelo celular.

 
  • Patrones de asimetría cerebral en la percepción de expresiones faciales positivas y negativas. Alves del NT, JA Aznar-Casanova y SS Fukusima. Páginas 256-272 | Recibido el 29 de febrero de 2008, publicado en línea el 17 de abril de 2009. https://doi.org/10.1080/13576500802362927.
  • El impacto de las diferentes funciones del teléfono celular y sus efectos en la estabilidad postural. Los enlaces de los autores abren el panel de superposición. Michael J. Rebold aCody A. Croall bEmily A. Cumberledge bTimothy P. Sheehan bMatthew T. Dirlam. https://doi.org/10.1016/j.peh.2016.11.004.

  • James Larson. Los deportes en la era informática Las tecnologías de la información en las emisiones deportivas.
  • El adolescente ante las tecnologías de la información y la comunicación: internet, móvil y videojuegos. Montserrat Castellana Rosell, Xavier Sánchez-Carbonell, Carla Graner Jordana y Marta Beranuy Fargues Universidad Ramón LLull (URL).