Testosterona e musculação: como elas se relacionam?

Quando fazemos treinamentos de força, estimulamos uma série de hormônios que, além do desempenho esportivo, ajudam a melhorar a qualidade de vida. A testosterona é um deles. Vamos abordar a relação entre a testosterona e a musculação.
Testosterona e musculação: como elas se relacionam?

Última atualização: 03 Fevereiro, 2021

Os hormônios cumprem diferentes funções fisiológicas para o correto funcionamento do organismo. No caso do sexo masculino, os hormônios diminuem com o tempo — principalmente a testosterona — e afetam a qualidade de vida. A seguir, veremos a importância e a relação entre a testosterona e a musculação, uma questão que suscitou várias pesquisas ao longo dos últimos anos.

O que é a testosterona?

É o hormônio masculino mais importante e o principal agente andrógeno para o homem. Os andrógenos são os hormônios responsáveis ​​pelo desenvolvimento das características sexuais do sexo masculino. Ao mesmo tempo, estimulam o crescimento muscular e o desejo sexual. Aqui começa a relação entre testosterona e musculação.

Como mencionamos anteriormente, a concentração de testosterona diminui com a idade. Um estudo importante descobriu que a concentração desse hormônio pode diminuir 20% aos 60 anos, 30% aos 70 anos e até 50% em homens acima de 80 anos.

Qual a relação entre a testosterona e o fisiculturismo?

A relação entre testosterona e musculação tem uma série de implicações muito importantes para o corpo, como as seguintes:

  • Esse hormônio produz uma diminuição na gordura corporal acumulada. O corpo consumirá essa gordura como suprimento de energia. No fisiculturismo, o treinamento de força é essencial para o crescimento muscular. Esse hormônio nos ajudará a ganhar definição e perder peso sem sacrificar os músculos.
  • A testosterona nos mantém ativos e atentos, algo fundamental para os fisiculturistas diante da grande carga de treinamento que eles sofrem.
  • A testosterona, graças à sua ação no músculo, provoca a transformação das fibras musculares no tipo IIB, que são fibras mais fortes. Este último aspecto é muito importante para os fisiculturistas, porque é exatamente isso que eles buscam com a carga de treinamento.
Testosterona e musculação são dois conceitos extremamente ligados.

  • Estimula o hormônio do crescimento, que será essencial para a reparação muscular após exercícios e também permite o crescimento muscular.
  • Finalmente, aumenta a densidade óssea, bem como o crescimento ósseo. Fisiculturistas, além de músculos fortes, precisam de um esqueleto igualmente poderoso.

Qual é a relação entre testosterona e musculação durante o treinamento?

No momento da preparação física, sabe-se que exercícios muito intensos aumentam os níveis de testosterona muito rapidamente. Na preparação do fisiculturista, trabalhar com pesos é muito importante. Nesse tipo de trabalho de alta intensidade, os receptores de andrógenos aumentam, o que é muito importante para a testosterona atingir seu efeito máximo.

As evidências científicas mostram que a resposta anabólica, que permite o fortalecimento e o crescimento dos músculos, será proporcional ao tamanho dos músculos envolvidos na sustentação da carga.

Portanto, para maior ativação desse hormônio, exercícios multiarticulares devem ser incluídos na preparação dos fisiculturistas. Então, os exercícios que não devem faltar são aqueles capazes de movimentar grandes cargas, como agachamento, levantamento terra ou supino.

Cuidado com overtraining

Qualquer atleta, sobretudo os fisiculturistas, devem prestar muita atenção para não excederem os níveis de carga que caracterizam o excesso de treinamento. Isso diminuiria os níveis de testosterona.

Por esse motivo, para que um fisiculturista alcance seus objetivos, ele deve controlar muito bem seus programas de treinamento e evitar uma diminuição indesejada dos seus níveis de testosterona, entre outras consequências.

Para isso, é essencial realizar ciclos de volume e intensidade, mantendo um bom descanso e evitando os picos de estresse que podem causar o temido overtraining.

O treinamento de força também contribui para o objetivo de queimar gordura.

Testosterona e musculação: diferenças entre homens e mulheres

Ao contrário dos homens, as mulheres têm pouca testosterona. Nos homens, os níveis de testosterona podem ser entre 10 e 20 vezes mais altos que nas mulheres, permitindo que eles tenham níveis mais altos de massa e força muscular.

Como mencionamos anteriormente, a testosterona é estimulada com treinamento e cargas intensas e é a principal catalisadora da hipertrofia. Por esse motivo, o crescimento muscular nas mulheres é muito mais lento e complicado do que nos homens, embora isso não signifique que as mulheres não possam alcançar a hipertrofia, mas sim que seu caminho será mais longo.

Agora que você sabe o que há de mais importante sobre a relação entre testosterona e musculação, revise seus treinamentos e comece a aplicar o que aprendeu. Aumente seus resultados treinando da maneira certa!

Pode interessar a você...
Quais são os melhores alongamentos para depois da musculação?
Fit People
Leia em Fit People
Quais são os melhores alongamentos para depois da musculação?

Existem mais tipos de alongamentos indicados para quem faz musculação do que muitos de nós conhecemos. Conheça-os a seguir!



  • Harman, S. M., Metter, E. J., Tobin, J. D., Pearson, J., & Blackman, M. R. (2001). Longitudinal effects of aging on serum total and free testosterone levels in healthy men. The Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism, 86(2), 724-731.
  • Cardinale M, Stone MH. (2006). Is testosterone influencing explosive performance?. Journal of Strength and Conditioning Research. 20: 103-107.
  • Larsen S, Danielsen JH, et al. (2014). The effect of high intensity training on mitochondrial fat oxidation in skeletal muscle and subcutaneous adipose tissue. Scand J Med Sci Sports 2014 May 21.