A microbiota: tudo o que você precisa saber

30 Dezembro, 2019
Neste artigo, vamos falar sobre a microbiota, um grupo de microrganismos ou bactérias que estão localizados em diferentes regiões do corpo humano e que convivem conosco em simbiose. Eles não são prejudiciais, na verdade, eles podem nos trazer inúmeros benefícios.
 

O sistema digestivo do corpo humano é um dos mais complexos. Talvez o mais importante seja o fato de que, no intestino grosso, convivemos com milhões de bactérias em simbiose. Essas bactérias formam o que conhecemos como flora intestinal ou microbiota e são essenciais para mantermos a nossa saúde.

Entre as suas características mais impressionantes, está o fato de que quase um terço de todos os neurônios do nosso corpo está localizado no intestino, formando plexos nervosos.

A microbiota

A microbiota ou microbioma é um conjunto de microrganismos presentes naturalmente em diferentes partes do corpo humano. Encontramos bactérias em condições normais em locais tão diferentes quanto a pele, a faringe, a uretra ou o esôfago.

No entanto, é no cólon que realmente existe um ecossistema completo de bactérias que convivem conosco sem nos prejudicar: até 100 bilhões de microrganismos unicelulares. Eles são mais numerosos do que o total de células do nosso corpo, e, no entanto, o seu peso em um indivíduo adulto é de apenas um quilograma e meio.

Embora haja uma crença de que as bactérias fazem mal à nossa saúde, isso não poderia estar mais longe da realidade. Na verdade, essas bactérias são inofensivas e temos uma relação de hospedeiro comensal com elas.

Ou seja, fornecemos alimentos sob a forma de substâncias que não podemos digerir, como alguns vegetais, por exemplo. Então, elas digerem essas substâncias por nós e nos ajudam a eliminá-las, além de muitas outras funções.

 

A microbiota

Composição da microbiota

A composição da microbiota é muito variável, dependendo da localização no corpo. É importante enfatizar que cada bactéria geralmente tem um local de alojamento e que, se modificarmos o seu habitat, elas poderão se tornar patogênicas.

Isso ocorre, por exemplo, com o Staphylococcus aureus, uma bactéria muito comum em nossa pele que pode entrar na corrente sanguínea através de ferimentos e, então, causar infecções. No cólon, onde as bactérias são mais abundantes, estão as bactérias do gênero Lactobacillus, que constituem quase a totalidade da nossa flora intestinal.

Uma das mais conhecidas é o Lactobacillus casei, encontrado em muitos suplementos alimentares, tanto em supermercados quanto em farmácias.

Essa bactéria, juntamente com outras que são abundantes nos nossos intestinos, são comercializadas como probióticos. Elas melhoram a nossa saúde intestinal e nos ajudam a digerir os alimentos.

Funções da microbiota

A microbiota tem inúmeras funções, mas neste artigo vamos destacar algumas das mais importantes, pois este tema poderia encher um livro inteiro.

Função de nutrição

 

Como já antecipamos, a microbiota desempenha um papel fundamental na digestão de alguns compostos. Por exemplo, as fibras alimentares favorecem a proliferação da microbiota, uma vez que a celulose que não conseguimos digerir será usada como alimento pelas bactérias.

Além disso, essas bactérias colaboram na síntese de inúmeras vitaminas, tais como a B12, no nível do cólon. Sem elas, seria muito difícil sintetizar a quantidade de que o organismo precisa.

Função de defesa

Elas exercem uma dupla função de defesa. Primeiramente, elas ocupam um espaço que poderia ser ocupado por bactérias patogênicas. Isso é especialmente importante para a pele, pois o crescimento de um tipo de bactéria pode deslocar colônias de outras que poderiam causar doenças.

Isso é conseguido se elas tiverem uma taxa de rotatividade muito maior e consumirem os nutrientes da nossa pele, de modo que as bactérias patogênicas fiquem sem alimento e morram.

Outra função muito importante ocorre através da estimulação do sistema imunológico. Muitas bactérias patogênicas são de um gênero muito específico, e as bactérias em nossa microbiota que se assemelham a elas ‘ensinam’ a atacá-las.

Assim, quando entrarmos em contato com bactérias nocivas, o nosso sistema imunológico estará pronto para combatê-las.

A microbiota
 

Prevenir alergias

O contato com bactérias da microbiota tem sido associado, em alguns estudos, a um número menor de alergias e doenças alimentares mediadas pelo sistema da imunoglobulina E, que está relacionada a reações de hipersensibilidade.

Isso ocorre porque elas fazem o nosso sistema imunológico reconhecer muitos alérgenos e, assim, essas reações que podem levar a processos alérgicos e episódios de anafilaxia não ocorrem.

  • Rinninella E, Raoul P, Cintoni M, Franceschi F, Miggiano GAD, Gasbarrini A, et al. What is the Healthy Gut Microbiota Composition? A Changing Ecosystem across Age, Environment, Diet, and Diseases. Microorganisms [Internet]. 2019 Jan 10 [cited 2019 Sep 30];7(1). Available from: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/30634578
  • Plunkett CH, Nagler CR. The Influence of the Microbiome on Allergic Sensitization to Food. J Immunol [Internet]. 2017 [cited 2019 Sep 30];198(2):581–9. Available from: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/28069753
  • Cani PD. Human gut microbiome: hopes, threats and promises. Gut [Internet]. 2018 Sep [cited 2019 Sep 30];67(9):1716–25. Available from: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/29934437