Conheça os benefícios do alongamento ativo

Pesquisas recentes mostraram que o alongamento tradicional não nos prepara adequadamente para o exercício, já que simplesmente relaxa os músculos.
Conheça os benefícios do alongamento ativo

Última atualização: 05 Março, 2021

A ideia de alongamento que nos é ensinada desde a infância não é a mais adequada. Estamos acostumados a um tipo de alongamento que, fisiologicamente, não é muito eficaz. Existe um grupo de alongamentos aprimorados que tem um nome bem simples: alongamento ativo. Este é o assunto que discutiremos abaixo.

Os alongamentos ao longo da vida

Sempre fomos ensinados a esticar a musculatura posterior da perna, dobrando as costas e tentando tocar os dedos dos pés com as mãos. Ou pegar o calcanhar e levá-lo para trás para esticarmos os quadríceps. Também é comum virar o tronco para o lado com os pés afastados para esticar os adutores.

Esses alongamentos são, na verdade, alongamentos passivos. Em outras palavras, são alongamentos onde usamos forças externas para esticar um músculo.

Nos casos anteriores, são a gravidade, as mãos e o peso do corpo que forçam um músculo a se esticar, sem ativar nenhum grupo muscular relacionado à região que queremos alongar. Esses exercícios alcançam o objetivo básico de alongar o músculo alvo, mas nada além disso.

Alongamento ativo

Por outro lado, o alongamento ativo respeita o movimento fisiológico do corpo. Quando executamos qualquer movimento na vida cotidiana, os principais músculos se contraem e os antagonistas — aqueles que desempenham a função oposta — relaxam. Assim, os tecidos moles que circundam as articulações são preparados para o movimento. Tudo acontece de forma controlada e equilibrada.

O alongamento ativo envolve o uso dos músculos antagônicos aos que desejamos alongar.

Quando fazemos alongamentos passivos, simplesmente esticamos artificialmente um músculo ou um grupo muscular, sem ativarmos nenhum outro elemento.

No alongamento ativo, o que fazemos é contrair o músculo oposto ao que queremos alongar. Dessa forma, além do alongamento criado ao afastar a origem e a inserção do músculo — seus dois extremos —, também nos beneficiamos com o relaxamento criado naturalmente ao contrair o músculo oposto.

Usando o exemplo do alongamento de adutores, em vez de simplesmente virar o peso do corpo para um lado, devemos fazer força com a perna esticada. Assim, contraímos os músculos da parte externa da perna para nos ajudar a relaxar e esticar a parte interna mais facilmente.

No caso do quadríceps, além de levar o calcanhar aos glúteos, seria conveniente contrair os isquiotibiais. Em outras palavras, temos que pressionar ativamente o calcanhar contra os glúteos.

Existem também alongamentos ativos mais complexos que, além de tudo, também ajudam a trabalhar a estabilidade e a propriocepção. Por exemplo, podemos ajudar o tronco a esticar os músculos dos membros inferiores, mantendo as costas retas.

Como sempre, quanto mais praticamos esportes e queremos exigir do nosso corpo para melhorar nosso nível, mais complicados os exercícios vão se tornando. Nesse caso, você deve consultar um educador físico ou fisioterapeuta sobre a progressão ideal do exercício. Eles poderão indicar os melhores alongamentos específicos para cada caso.

Benefícios do alongamento ativo

Dito tudo isso, o principal benefício do alongamento ativo é que esticamos o músculo de uma maneira fisiologicamente correta. Além disso, preparamos melhor o corpo para suportar os esforços subsequentes.

Isso ocorre porque, como vimos, também ativamos os elementos que circundam o músculo. Assim, com o alongamento ativo, também estamos ativando os elementos da cápsula articular e as estruturas internas do músculo que estão entre as fibras musculares e os tendões.

 

Um alongamento estático é aquele em que o músculo é alongado suavemente, com uma demanda leve ou moderada.

Este último é um fator importante para nos ajudar a prevenir lesões. Portanto, é aconselhável realizar alongamentos ativos, especialmente antes de praticar esportes. O corpo será ativado em vez de relaxado e estará preparado para o esforço que vamos fazer.

Então, vamos deixar de só realizar alongamentos passivos?

Não é necessário parar de fazer alongamentos passivos, mas saber escolher o momento certo para realizá-los é essencial. Quando queremos relaxar o corpo, é conveniente realizar alongamentos passivos. Portanto, no final de uma sessão de treinamento, esse tipo de alongamento será bastante útil. Ao afastar a origem da inserção, simplesmente induzimos o músculo a relaxar.

Pode interessar a você...
Como fazer um treino de alongamento sem sair de casa
Fit PeopleLeia em Fit People
Como fazer um treino de alongamento sem sair de casa

Tanto para atletas quanto para quem se exercita, o alongamento é uma parte fundamental independentemente se você treina em casa ou em uma academia.



  • Ayala F., Ste Croix M. De, Sainz de Baranda P., Santonja F.. Acute effects of two different stretching techniques on isokinetic strength and power. Rev Andal Med Deporte  [Internet]. 2015  Sep [citado  2019  Nov  25] ;  8( 3 ): 93-102.
  • Díaz-Soler María Angeles, Vaquero-Cristóbal Raquel, Espejo-Antúnez Luis, López-Miñarro Pedro ángel. Efecto de un protocolo de calentamiento en la distancia alcanzada en el test sit-and-reach en alumnos adolescentes. Nutr. Hosp.  [Internet]. 2015  Jun [citado  2019  Nov  25] ;  31( 6 ): 2618-2623.
  • Bohajar-Lax Álvaro, Vaquero-Cristóbal Raquel, Espejo-Antúnez Luis, López-Miñarro Pedro Ángel. Efecto de un programa de estiramiento de la musculatura isquiosural sobre la extensibilidad isquiosural en escolares adolescentes: influencia de la distribución semanal de las sesiones. Nutr. Hosp.  [Internet]. 2015  Sep [citado  2019  Nov  25] ;  32( 3 ): 1241-1245.