Como a musculação afeta a vida do casal?

01 Outubro, 2019
É incrível como a prática de uma atividade física estruturada pode trazer grandes benefícios, tanto fisicamente quanto psicologicamente. Infelizmente, essa é uma faca de dois gumes. A prática inadequada, associada a hábitos prejudiciais, pode fazer com que isso se torne algo destrutivo.

O culto ao corpo geralmente carrega algumas conotações sexuais. No entanto, quer seja para melhorar a nossa saúde, para apreciar um hobby ou para exibir um corpo mais estético, há um resultado hormonal e sexual que implica o desejo de atenção por parte dos outros. Qual é a relação entre a musculação e a vida do casal?

As consequências da atividade esportiva praticada por um ou por ambos os parceiros serão diretamente projetadas no vínculo amoroso.

Se analisarmos especificamente a atividade física sistematizada para o ganho de massa muscular — chamada de musculação — essas conotações poderiam ser extraordinárias ou, ao contrário, arruinar o casal.

Musculação e o relacionamento do casal

Existem duas possibilidades na análise das práticas de fitness ou esportivas e o relacionamento do casal. A prática pode ser realizada exclusivamente por uma das duas pessoas, o que pode causar um desequilíbrio em certos padrões estéticos e comportamentais.

No entanto, se o casal tiver uma ligação forte, as preferências pessoais de cada um serão respeitadas separadamente.

Por outro lado, se os dois indivíduos forem adeptos da atividade física, os benefícios se multiplicarão. Dessa forma, pode haver um fortalecimento do vínculo de união e dos consequentes benefícios psicológicos e fisiológicos causados pela musculação na vida do casal.

Aspectos característicos da prática esportiva

Existem várias modalidades de musculação, todas voltadas para o desenvolvimento da musculatura. Geralmente os objetivos são mais estéticos do que de desempenho esportivo, embora ambos estejam intimamente relacionados entre si.

A musculação deve ser feita com bom senso e com o planejamento adequado. Caso contrário, pode se tornar um hábito prejudicial fisica e mentalmente.

Evolução psicofísica do praticante de musculação

Evolução psicofísica do praticante de musculação

As consequências das ideias e emoções têm um grande impacto no desenvolvimento físico. Dessa forma, as consequências estruturais da prática da musculação podem levar para uma realização saudável ou, pelo contrário, para algo insano. Tudo isso do ponto de vista da saúde.

Prática correta da musculação

Se a prática do bodybuilding — musculação — for totalmente saudável, os benefícios mentais e corporais podem fazer com que os seus praticantes obtenham habilidades físicas e uma motivação ótimas. Os possíveis benefícios psicológicos são os seguintes:

  • Aumento do nível de autoestima.
  • Melhora da capacidade de enfrentar problemas diários alheios à atividade física.
  • Maior empatia social ao interagir com outros usuários em um centro de treinamento.
  • Liberação do estresse, o que diminui a ansiedade, a depressão ou a irritabilidade.
  • Melhora da função cerebral.
  • Possível prevenção de doenças mentais na velhice.

Por sua vez, os benefícios fisiológicos da musculação para a vida do casal podem ser os seguintes:

  • Melhora da força, resistência, elasticidade ou velocidade — a porcentagem depende da modalidade esportiva praticada.
  • Rejuvenescimento celular.
  • Prevenção de doenças orgânicas.
  • Redução da sarcopenia — perda de massa muscular com a idade.
  • Melhoras posturais ou no desequilíbrio músculo-ósseo.
  • Luta contra a obesidade.

Prática inadequada da musculação

Ao contrário do que foi descrito, se houver um transtorno ou obsessão com o treinamento sem nenhum tipo de controle, o uso de substâncias ilícitas ou uma dieta puramente restritiva, as consequências podem ser terríveis para a pessoa. Algumas delas podem ser:

  • Irritabilidade aumentada.
  • Overtraining ou burnout devido ao exercício excessivo.
  • Cansaço extremo.
  • Falta de ânimo para uma convivência harmoniosa.
  • Baixa energia para o cérebro.
Efeitos positivos da musculação para o casal

  • Envelhecimento neuronal prematuro.
  • Desestruturação hormonal.
  • Enfraquecimento do sistema imunológico.
  • Doenças orgânicas: diversas doenças que podem afetar o fígado, a pele, o coração ou até mesmo o cérebro.

Efeitos positivos da musculação para o casal

Tudo o que fazemos em relação ao ambiente e tudo aquilo que recebemos dele afeta o nosso relacionamento com os outros. Em relação ao casal, uma prática esportiva saudável levará a pessoa a se sentir mais relaxada com a sua cara-metade, evitando assim brigas desnecessárias ou usando a razão se elas ocorrerem.

Além disso, se ambas as pessoas praticarem esportes, isso será um ponto de união que ajudará o relacionamento a não ficar dividido. Na verdade, muitos casais se conhecem em lugares como a academia.

Tudo o que foi mencionado se refere ao aspecto comportamental. Além disso, com relação ao aspecto físico, a prática esportiva feita por um ou ambos os parceiros vai levar a uma melhor colaboração diária. Paralelamente, a atividade sexual se tornará muito mais prazerosa e duradoura, além de afetiva.

Finalmente, ambos vão experimentar a sensação de estarem mais atraídos fisicamente pelo progresso físico da outra pessoa. Então, pratique musculação, mas também cuide do seu relacionamento. Tudo é uma questão de encontrar o equilíbrio!

  • American Academy of Pediatrics. Committee on Sports Medicine and Fitness.
    Adolescents and Anabolic Steroids: A Subject Review. Pediatrics Vol. 99 No. 6
    June 1997, pp. 904-908.
  • Anderson, K., Niesenblat, V. & Norman, R. (2010). Lifestyle factors in
    people seeking infertility treatment. A review. En: Australian and New
    Zeland Journal ofObstetrics and Gynaecology, 50, 8-20.
  • Boots, C. & Stephenson, M. (2011). Does obesity increase the risk of
    miscarriage in spontaneous conception: A systematic review. En: Seminars
    inReproductive Medicine, 25, 1123-1126.
  • Benson, H.; Dryer, T. y Hartley, L.H. (1978). Decreased VO2 consumption during
    exercise with elicitation of the relaxation response. Journal of Human Stress, 4,
    38-42.