Ortorexia: a preocupação excessiva com a saúde

Certamente você já ouviu falar de anorexia ou bulimia. Além dessas duas condições, existem outros distúrbios alimentares, como a ortorexia, que ainda são pouco compreendidos.
Ortorexia: a preocupação excessiva com a saúde

Última atualização: 22 Março, 2021

A ocorrência de transtornos alimentares está aumentando, reforçados pela promoção de novos estilos de vida, pela publicidade e pela preocupação excessiva com a aparência corporal. Todo mundo conhece a anorexia e bulimia, mas alguns novos distúrbios, como a ortorexia e a vigorexia, estão infelizmente ganhando espaço.

Distúrbios alimentares relacionados com a ortorexia

Anorexia

A anorexia nervosa é caracterizada por comportamentos de rejeição de alimentos pelo paciente e medo obsessivo de ganhar peso, o que pode levar a um estado de inanição. Esse distúrbio psicológico tende a afetar principalmente mulheres jovens, embora cada vez mais homens sejam acometidos.

Existem dois subtipos de anorexia, dependendo da tendência adotada pelo paciente. Se o sujeito decidir voluntariamente restringir a ingestão de alimentos, estamos diante da anorexia do tipo restritivo. Por sua vez, se o sujeito recorre a ações compulsivas e compensatórias, como vômito ou uso de laxantes, trata-se do tipo de anorexia purgativo ou compulsivo.

Bulimia

Esse distúrbio é caracterizado por comportamentos de compulsão alimentar e métodos compensatórios inadequados para evitar o ganho de peso.

Conhecer os mitos sobre a perda de gordura é essencial para evitar esses erros e não desenvolver distúrbios alimentares, como a ortorexia.

“A compulsão alimentar é caracterizada por: ingestão de alimentos em um curto período de tempo (por exemplo, em um período de 2 horas) em quantidades maiores do que a maioria das pessoas comeria em um período de tempo semelhante e nas mesmas circunstâncias; e uma sensação de perda de controle sobre a ingestão de alimentos (por exemplo, sensação de não ser capaz de controlar o tipo ou a quantidade de alimentos ingeridos.”

Miján de la Torre

Vômito

Também conhecida como síndrome do vômito, é caracterizada por comer e vomitar compulsivamente várias vezes ao dia. Essas pessoas sentem o desejo incontrolável de comer para vomitar.

Transtornos inespecíficos do comportamento alimentar

Sob essa denominação, há distúrbios agrupados que não atendem aos critérios de diagnóstico de qualquer distúrbio alimentar específico. Por exemplo, pessoas com comportamentos bulímicos que apresentam compulsão alimentar menos frequente.

Vigorexia

Também é conhecido como o complexo de Adonis. Esse distúrbio psicológico difere dos anteriores porque não é exatamente relacionado à alimentação. Entretanto, há sintomas semelhantes como obsessão pela própria imagem e distorção de como a pessoa vê seu corpo. Fala-se de vigorexia quando há uma preocupação excessiva com o fisiculturismo.

Alotriofagia

O distúrbio da alotriofagia ocorre em indivíduos que ingerem substâncias não nutritivas, como terra ou papel, por um período de pelo menos um mês.

Ruminação

Também chamado de mericismo, esse distúrbio consiste na regurgitação repetida de alimentos do estômago para a boca, onde são expulsos ou mastigados indefinidamente.

Obesidade

O aumento da ocorrência dessa patologia multifatorial é cada vez mais discutido. Em estados de depressão ou em pessoas com ansiedade, o ganho de peso geralmente se deve ao aumento compulsivo da ingestão de alimentos.

A obesidade também pode ser uma causa da bulimia ou da compulsão alimentar a longo prazo. Pos isso, combater a obesidade infantil é de extrema importância para evitar a ocorrência de doenças no futuro.

Ortorexia

Este distúrbio foi descrito pela primeira vez há pouco tempo. É caracterizado por uma preocupação excessiva com a dieta que pode levar ao isolamento social ou à busca de dietas rigorosas.

A obsessão patológica pela alimentação saudável geralmente começa inocentemente, como um desejo de melhorar a saúde, perder peso ou superar doenças. O que comer, quanto e as consequências de uma dieta ruim são pensamentos frequentes para um ortoréxico.

Essa preocupação com alimentos saudáveis ​​leva ao consumo de alimentos exclusivamente da agricultura orgânica, sem pesticidas ou componentes transgênicos. Isso às vezes implica que alguns grupos alimentares são suprimidos da dieta e, consequentemente, déficits nutricionais começam a ocorrer.

Sintomatologia da ortorexia

Embora os critérios de diagnóstico ainda não sejam suficientemente claros, alguns sinais comuns são:

  • Dedicar mais de três horas por dia ao planejamento de uma dieta saudável.
  • Preocupar-se mais com a qualidade dos alimentos do que com o prazer de comê-los.
  • Sentir-se culpado se as diretrizes alimentares não forem cumpridas.
  • Planejar excessivamente o que será consumido no dia seguinte.
  • Isolar-se socialmente por causa da alimentação.
  • Percorrer longas distâncias para obter alimentos especiais.
Saber o IMC feminino e masculino é o primeiro passo no planejamento de uma dieta personalizada.

Como tratar a ortorexia?

Da mesma forma que em outros distúrbios alimentares, o tratamento psicológico para a ortorexia é mais importante que o tratamento nutricional. Afinal, todos os comportamentos que a ortorexia leva o indivíduo a desenvolver ao longo do tempo devem ser eliminados.

O primeiro passo do tratamento é a aceitação do problema pelo paciente e o desejo de que essa obsessão acabe. Uma vez aceito, é preciso aprender a comer normalmente pouco a pouco. É importante que durante todo o processo o sujeito seja tratado por uma equipe interdisciplinar numa perspectiva comportamental cognitiva.

Pode interessar a você...
Uma alimentação sem glúten aumenta o risco de diabetes?
Fit PeopleLeia em Fit People
Uma alimentação sem glúten aumenta o risco de diabetes?

A alimentação sem glúten é positiva ou negativa para o bem-estar do seu corpo? Vamos te contar neste artigo os cuidados necessários.



  • Miján de la Torre A. Nutrición y metabolismo en trastornos de la conducta alimentaria. Cap 3: Velasco Vallejo JL, Martín de la Torre E. Clasificación de los trastornos de la alimentación. La obesidad como trastorno de la alimentación. Editorial Glosa; 2004. p.57-69
  • Nardone G, Verbito T, Milanese R. Las prisiones de la comida. Cap 1.2: Clasificación diagnóstica de los trastornos alimentarios. Barcelona. Editorial Herder; 2002
  • Bratman S, Knight D. Health Food Junkies. Orthorexia nervosa: overcoming the obsession with healthful eating. 1ª ed. Estados Unidos: Broadway Books; 2000
  • Dávila, S.G., García, G.I., Mata, H.J et al. ¿Comer sano es siempre algo bueno? 2005. http://www.monografias.com/trabajos29/ortorexia/ortorexia.shtml.
  • Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders: DSM-IV-TR. Washington, DC: American Psychiatric Association; 2000