Entrevista com Raúl Rebollo: «as técnicas hipopressivas ajudam até mesmo a melhorar a postura»

As técnicas hipopressivas não apenas ajudam a melhorar o desempenho esportivo, como também ajudam a prevenir lesões, melhorar a postura e outros aspectos.
Entrevista com Raúl Rebollo: «as técnicas hipopressivas  ajudam até mesmo a melhorar a postura»

Última atualização: 13 Maio, 2021

As técnicas hipopressivas foram criadas na década de oitenta por Marcel Caufriez, fisioterapeuta belga que tinha como objetivo promover a recuperação das mulheres que haviam dado à luz, através do fortalecimento do assoalho pélvico. Em suma, ele pretendia oferecer técnicas de reeducação uroginecológica.

Com o tempo, essas técnicas se tornaram cada vez mais populares e, por isso, passaram a ser usadas para outras áreas, tais como a melhora da saúde e o desempenho esportivo.

Entrevista com Raúl Rebollo

Raúl Rebollo é fisioterapeuta e, há 3 anos, também é triatleta. Por isso, ele pode falar não só a partir da sua experiência profissional, mas também como atleta.  

Como profissional, ele se destaca pela clareza e proximidade com que se expressa ao explicar porque uma lesão pode ocorrer, o que pode ser feito a respeito, o que deve ser evitado, o que é mais recomendado (e porque), entre outros aspectos.

Como triatleta, ela enfatiza a importância de manter uma boa postura, bem como uma boa técnica de respiração e de execução dos movimentos, a fim de obter bem-estar e alcançar um bom desempenho esportivo.

A seguir, veremos o que ele nos diz em relação a um assunto muito interessante: as técnicas hipopressivas.

P. Em que consistem as técnicas hipopressivas?

As técnicas hipopressivas (do grego hipo, que significa «menos» e do latim presivo que significa «pressão») são uma série de exercícios respiratórios caracterizados por serem executados em uma postura específica, a hipopressão intra-abdominal.

Ao executá-las, ocorre uma diminuição da pressão intra-abdominal e uma ativação reflexa dos músculos do assoalho pélvico e da faixa abdominal.

Para executá-las corretamente, é necessário levar em consideração os seguintes aspectos:

  • Auto alongamento. É uma sensação de crescimento, como se um fio se estendesse da nossa cabeça até o teto. Curiosamente, com esse gesto, conseguimos que o intestino volte para dentro sozinho.
  • Alongar o occipital por trás. Com esse gesto, o nosso queixo se aproximará do esterno. 
  • Decoaptação da cintura escapular. É como se quiséssemos tirar os ombros do lugar, ligeiramente para fora.
  • Inclinação do nosso eixo de gravidade. Inclinamo-nos ligeiramente para a frente. 
  • Apneia expiratória. Expiramos o ar e ficamos sem respirar durante o exercício. 
  • Abertura das costelas. Depois de tudo o que foi feito acima, é hora de fazer o exercício, abrindo as costelas e mantendo a posição durante o tempo que o instrutor disser.

*Nota importante: assim como qualquer exercício, se forem feitos incorretamente, eles podem ser prejudiciais. Portanto, se você estiver interessado em iniciar esse tipo de treinamento, é melhor começar, desde as primeiras sessões, com um instrutor especializado. Dessa forma, você vai garantir que você aprenderá a executar os exercícios da maneira correta e, com a ajuda do profissional, corrigir os aspectos necessários.

as técnicas hipopressivas

A execução incorreta de um movimento ou de uma série de exercícios pode causar lesões.

P. Por que essas técnicas são importantes?

Essas técnicas são recomendadas porque elas podem melhorar a função respiratória, a postura em geral e outros aspectos importantes, tais como o tônus ​​do assoalho pélvico (tanto em homens quanto em mulheres).

Por outro lado, elas ajudam a prevenir o aparecimento de hérnias e o prolapso dos órgãos do assoalho pélvico, além de diminuir o perímetro abdominal.

Elas têm muitos benefícios e é por isso que elas são cada vez mais usadas por mais pessoas, jovens, idosos, atletas ou não.

Recomendamos fazê-las pela manhã e, acima de tudo, com o estômago vazio.

P. Para quem elas são? Todos podem praticá-las?

Podemos dizer que este é um método que pode ser usado por quase todas as pessoas. Assim como ocorre com todas as técnicas, sempre existem indicações e contraindicações. É importante saber para que tipo de pessoas e para quais patologias a prática dos hipopressivos é totalmente contraindicada.

Podemos agrupar essas técnicas, por exemplo, dentro do mundo uroginecológico. Com algumas exceções, elas são altamente recomendadas para as mulheres para a prevenção e o tratamento da incontinência, do prolapso…

Para os homens, elas podem ser recomendadas após um tratamento para a próstata e há uma indicação que geralmente passa despercebida, que é a melhora das ereções. Já sabemos que a musculatura dos órgãos sexuais está intimamente relacionada ao trabalho do método hipopressivo. A oxigenação dos músculos do assoalho pélvico e dos órgãos sexuais é favorecida.

A sua prática também seria recomendada para as pessoas com dor lombar como um tratamento, assim como para a prevenção de dores futuras.

As contraindicações absolutas do método hipopressivo são as seguintes:

  • Hipertensão.
  • Problemas coronários e renais.
  • Durante a gravidez e pós-parto imediato (até 6 semanas após dar à luz).

Dependendo do exercício que fizermos, pode ser que, caso tenhamos problemas nos joelhos, eles não possam ser feitos. No entanto, sempre existe a possibilidade de adaptar o exercício para que o paciente possa executá-lo.

Os benefícios das técnicas hipopressivas

P. Como elas se relacionam com o alto desempenho?

No âmbito esportivo, sabemos que são muito importantes os exercícios de força, o alongamento correto, o sono e a alimentação saudável. No entanto, uma das questões mais importantes para um atleta, seja qual for o seu nível, é ter uma boa respiração.

E também há um músculo alvo, que é responsável pela execução dessa função. Sabemos que músculo é esse? Sabemos como fortalecê-lo? Sabemos como alongá-lo? Por que exercitamos o quadríceps para fortalecê-lo, mas não fazemos o mesmo com os músculos respiratórios? Não sei se vocês já adivinharam, mas o músculo de que estamos falando é o diafragma.

Em competições de alto nível, pequenos detalhes fazem a diferença e, se conseguirmos melhorar a nossa função respiratória, seremos capazes de fazer com que mais oxigênio circule pelas artérias, com o consequente benefício.

as técnicas hipopressivas

 O diafragma é o músculo inspirador por excelência que, juntamente com outros músculos acessórios, é responsável por desempenhar a função respiratória.

P. Você poderia nos contar uma história de sucesso?

Cada dia há mais atletas que incluem os exercícios hipopressivos na sua rotina de treinamento. Vimos recentemente Fernando Alarza e Stephanie Rothstein Bruce, que nos contaram que começaram a fazer hipopressivos.

P. Quais são os benefícios das técnicas hipopressivas no alto desempenho?

Existem vários benefícios para a melhora de qualquer atleta, e ainda mais para o alto desempenho. Podemos destacar:

  • Previne hérnias.
  • Melhora a postura durante o exercício. 
  • Melhora dos padrões respiratórios.
  • Previne possíveis lesões e melhora a recuperação pós-esforço. 
  • Aumento do hematócrito e da concentração de glóbulos vermelhos. Por isso, a oxigenação dos tecidos aumenta.
  • Favorece a redução do lactato no sangue nos esforços de longa duração.

P. Você poderia dar alguns conselhos sobre esse tipo de técnica a todos os atletas que treinam diariamente?

Podemos recomendar que primeiramente consultem um fisioterapeuta para que ele ensine a fazer os exercícios corretamente. Então, vocês poderão introduzi-los na sua rotina de treinamento 3-4 vezes por semana. Como trabalhamos em apneia, poderemos avaliar os segundos que aguentamos a cada dia e, assim, ver a progressão.

Paralelamente a isso, começaremos a notar pequenos detalhes de melhoria em termos de exercícios de resistênciavelocidade ou sensações de ir mais rápido, mas controlando a respiração. Porque todos sabemos que, quando nos exercitamos e a nossa respiração está controlada, somos capazes de suportar mais e melhor.

Pode interessar a você...
6 condições surpreendentes tratadas pela fisioterapia
Fit PeopleLeia em Fit People
6 condições surpreendentes tratadas pela fisioterapia

A fisioterapia pode ser muito interessante se olharmos de perto. Conheça as condições tratadas pela fisioterapia no artigo de hoje.