O que é a terapia miofascial?

A fáscia passa por grande parte do corpo, por isso pode ser afetada por doenças em várias estruturas diferentes.
O que é a terapia miofascial?

Última atualização: 08 Março, 2021

O objetivo da terapia miofascial é eliminar as dores e as limitações de movimento do corpo associadas à fáscia. Esta é uma técnica frequentemente aplicada em fisioterapia, com resultados imediatos.

O que exatamente é a fáscia?

A primeira coisa é deixar claro este conceito. A fáscia é uma rede contínua de tecido conjuntivo que envolve diversas estruturas do corpo. Ela impede que haja fricção entre algumas estruturas como ossos, articulações e músculos. Sendo assim, ela promove a mobilidade.

Sendo uma rede contínua, qualquer problema causará uma série de sintomas. Além disso, tais sintomas não precisam necessariamente estar relacionados à área em que a lesão ocorreu.

Adicionalmente, cabe ressaltar que essa rede se adaptará gradualmente a estímulos e tração. Ela se transformará para se adaptar às mudanças no corpo. Portanto, se houver uma lesão, você pode trabalhá-la para recuperar seu funcionamento normal.

Terapia miofascial

O objetivo da terapia miofascial, portanto, é restabelecer a normalidade desse tecido. Assim, pretende-se eliminar as restrições que podem ser causadas tanto por efeitos físicos, como traumas, estiramentos, cicatrizes ou efeitos psicológicos, como distúrbios de ansiedade ou episódios de depressão.

Existem quatro maneiras de aplicar esse tipo de terapia:

  • Indução miofascial: esse método consiste em realizar um leve alongamento e pressão por algum tempo. O objetivo é restabelecer a normalidade do tecido. Tanto a fáscia superficial quanto a profunda serão trabalhadas, dependendo da pressão exercida na área do corpo afetada.
Terapia miofascial para fascite plantar

  • Liberação direta: essa técnica consiste em aplicar pressão e fazer movimentos constantes com os nós dos dedos ou outras partes do corpo em uma área específica. Uma boa dose de pressão deve ser usada para trabalhar a fáscia profunda.
  • Liberação indireta: esse método consiste em tentar tratar os tecidos a partir de outra área. Por exemplo, se o problema estiver no ombro ou cotovelo, o terapeuta trabalhará o paciente pelo pulso. Posteriormente, o braço será colocado na posição correta com a realização de um leve alongamento, que se manterá por vários minutos. Devemos ter em mente que a fáscia é um tecido contínuo. Portanto, essa técnica é como colocar a toalha de mesa na mesa de jantar. Se ela estiver enrugada em um lado, puxamos a extremidade para o lado oposto, o que fará com que a toalha se estique e retorne ao normal.
  • Terapia ativa: nessa modalidade, o terapeuta aplicará forças no corpo do paciente, mas solicitará que ele tente impedir os movimentos. Ou seja, o paciente deve ser capaz de gerar uma força no sentido contrário. Dessa maneira, as próprias contrações musculares ajudam a redirecionar o tecido conjuntivo ao seu redor.

De qualquer modo, essas técnicas são quase indolores, gentis e não invasivas. No entanto, o habitual é que não sejam aplicadas sem acompanhamento. A terapia miofascial pode ser combinada com a punção seca se forem detectados pontos-gatilho ativos nos músculos. É possível também usar outras movimentações, exercícios ou alongamentos dependendo de cada caso.

Benefícios da terapia miofascial

Ao cobrir um grande número de tecidos, essas técnicas serão aplicadas em diferentes situações que podem parecer não estar relacionadas. Assim, a terapia miofascial pode ajudar com dores nas costas, dor no ombro, tendinite, fascite plantar, fibromialgia e até mesmo com uma dor geral após um período de alta carga emocional.

O cotovelo também é propenso a lesões na escalada esportiva.

Em todos esses casos e muitos outros, o terapeuta pode incluir técnicas de terapia miofascial em suas sessões, uma vez que a fáscia pode ter sua continuidade alterada em inúmeras situações.

Como dissemos no início, os objetivos são reduzir a dor e recuperar a mobilidade normal. Se o terapeuta for capaz de diagnosticar que a fáscia pode estar comprometida, ele levará apenas algumas sessões para produzir uma melhora notável na condição do paciente.

Pode interessar a você...
Saiba como prevenir a fascite plantar
Fit PeopleLeia em Fit People
Saiba como prevenir a fascite plantar

A fascite plantar é uma patologia que afeta principalmente os atletas e que limita bastante o seu dia a dia. Saiba mais a seguir.



  • Ana Isabel U., Alicia H. Liberación miofascial aplicada en un paciente adulto con daño cerebral. Biociencias. Número 6 (2008).
  • Iván R. Efectividad de la terapia de liberación miofascial en el tratamiento de la cervicalgia mecánica en el ámbito laboral. Tesis doctoral, Universidad de A Coruña (2011).
  • Manuel R. Tratamiento del síndrome cervical con terapias miofasciales. Tesis doctoral, Universidad de Cádiz (2017).