Saiba mais sobre a concussão em esportes infantis

06 Julho, 2020
A concussão em esportes infantis pode ocorrer durante a prática de várias disciplinas. Portanto, é importante reconhecê-la imediatamente e tomar todas as medidas de precaução necessárias.
 

A concussão em esportes infantis ocorre com relativa frequência, mas não deve ser ignorada. Se ela não for tratada desde o início, pode levar a problemas mais sérios.

As concussões ocorrem mais comumente em esportes de contato, como rugby, futebol e basquete. No entanto, também há risco em outras práticas esportivas.

Estima-se que, a cada ano, 20% das crianças que praticam esportes de contato sofrem uma concussão. Essa estatística pode variar entre diferentes regiões, mas, para muitos países, isso representa milhões de pacientes.

Além disso, crianças que sofreram uma concussão correm o dobro do risco de sofrer uma nova lesão se continuarem praticando esportes.

Uma concussão é quando o cérebro se lesiona por uma batida na cabeça que sacode o crânio. A cabeça se move muito rapidamente para frente e para trás como resultado do trauma, e isso afeta o tecido cerebral.

O efeito imediato de uma concussão é uma mudança momentânea na função cerebral. Essa alteração não pode ser detectada usando técnicas de imagem, como a tomografia ou a ressonância magnética.

Sintomas de concussão

Os adultos devem estar preparados para detectar os sintomas de uma concussão em esportes infantis. A detecção precoce é importante para o tratamento adequado e a prevenção de problemas posteriores.

Alguns dos sintomas que uma criança com concussão pode ter são:

  • Desorientação: a criança não reconhece nem o lugar, nem o momento em que está.
  • Amnésia: ela esquece algumas coisas, principalmente aquelas relacionadas ao momento do trauma.
 
Como a concussão em esportes infantis é diagnosticada

  • Desequilíbrio: a concussão afeta a coordenação, a postura e alguns movimentos finos.
  • Náusea e vomito.
  • Diplopia: termo médico para visão dupla.
  • Aumento dos sintomas com exposição à luz e ao ruído.
  • Cansaço excessivo: a pessoa sente vontade de dormir mais do que o normal e tem problemas para acordar.

Como a concussão em esportes infantis é diagnosticada

A concussão em esportes infantis é difícil de diagnosticar. Como dissemos no início deste artigo, não é uma lesão que se torna evidente usando técnicas de imagem.

Portanto, é essencial uma avaliação médica. No entanto, é provável que não haja médicos presentes no momento de uma concussão, a menos que seja um grande evento esportivo. Por isso, é recomendável que todos os treinadores de crianças conheçam os sintomas e aprendam a reconhecer os sinais de alerta.

Um dos métodos mais conhecidos para avaliar uma concussão é conhecido como SCAT, que é uma escala de avaliação de sintomas após um trauma. Tabelas de avaliação podem ser usadas por qualquer pessoa e estão disponíveis gratuitamente para download na internet.

 

Ainda é possível que os médicos solicitem uma tomografia computadorizada ou uma ressonância magnética, mas isso não é totalmente necessário. Se os sintomas forem claros e óbvios, isso provavelmente será suficiente.

Recomendações após uma concussão

Uma vez diagnosticada uma concussão, você deve tomar medidas específicas para tratá-la. Isso terá uma influência significativa sobre como a concussão evolui.

Em primeiro lugar, a criança deve descansar por um tempo após a lesão. O repouso ajuda o cérebro a retornar ao seu funcionamento e posição normais.

Voltar ao esporte após uma concussão em esportes infantis é controverso. Algumas pessoas alegam que não há problema em um retorno rápido, mas evidências científicas defendem um retorno progressivo.

Lembre-se de que uma concussão pode apresentar sintomas por até um mês após o trauma. Os medicamentos não são tão eficazes em reduzir esse intervalo, mas eles podem aliviar sintomas como vômitos ou dor de cabeça.

Recomendações após uma concussão

Toda atividade cognitiva deve ser reduzida durante as quatro semanas de recuperação. É importante informar a escola do seu filho sobre sua condição para que ele não seja forçado a realizar atividades exigentes durante esse período.

 

Conclusão

A concussão em esportes infantis é bastante comum, mas ainda é algo que deve ser levado a sério, pois pode afetar o desenvolvimento normal da criança. Qualquer adulto presente deve assumir a responsabilidade de detectar os sintomas e sinais para identificá-la a tempo.

Uma vez diagnosticada, é importante garantir que a criança se recupere completamente. No entanto, embora ela precise praticar menos esporte por um tempo – talvez um mês – é improvável que ela precise abandoná-lo completamente.

  • Liotta, Carlos A. “Conmoción cerebral en el deporte.” Trauma 22.2 (2011): 108-112.
  • Ortiz, Mario I., and Gabriela Murguía. “Conmoción cerebral asociado a un traumatismo craneoencefálico en los deportistas.” Medwave 13.01 (2013).
  • De Villegas, Carlos, and Jorge Salazar. “Traumatismo cráneo encefálico en niños.” Revista de la Sociedad Boliviana de Pediatría 47.1 (2008): 19-29.