As tendinites mais comuns entre os atletas

As tendinites mais comuns entre os atletas são aquelas que ocorrem por causa do uso excessivo dos tecidos. Vamos falar sobre o diagnóstico e o tratamento das mais frequentes.
As tendinites mais comuns entre os atletas

Última atualização: 03 Janeiro, 2021

Existem tendinites que são mais comuns do que outras na comunidade esportiva. A localização varia de acordo com a articulação ou parte do corpo que mais faz esforço em cada exercício ou esporte.

A tendinite é a inflamação de um tendão, que é uma estrutura mole do corpo que conecta um osso a um músculo. Os tendões são compostos, em sua maioria, por fibras de colágeno, que são as que sofrem o dano e por meio das quais pode ser gerada a cicatrização para a reparação da lesão.

No esporte, as tendinites são muito comuns. Cada modalidade tem as suas formas de apresentação mais frequentes, e a medicina avançou muito nas últimas décadas para abordá-las para atingir uma recuperação tão rápida quanto possível, já que elas podem deixar um atleta fora do circuito por semanas.

A seguir, vamos falar sobre algumas dessas lesões esportivas para que você as conheça e saiba como evitá-las. Caso não seja possível evitá-las, sempre será recomendável que a avaliação seja feita por um médico, a fim de planejar a reabilitação adequada.

Tendinite patelar

A tendinite patelar também é conhecida como joelho do saltador. É uma lesão gerada por causa do trauma repetitivo sobre a articulação do joelhoprincipalmente no basquete ou na corrida.

A sobrecarga de treinamento é uma causa comum. O impacto contínuo gerado por certas práticas deve ser regulado quando os primeiros sinais de dor aparecem. Além disso, a rotação fora do eixo do joelho também é capaz de estirar e inflamar os tendões.

As tendinites mais comuns entre os atletas

O quadro clínico varia desde uma tendinite leve até a ruptura do tendão. Nos estágios iniciais, a abordagem é conservadora, com frio local, repouso e anti-inflamatórios.

Se houver uma ruptura, a única opção válida é a cirurgia para reparar as fibras de colágeno, conforme indicado por publicações médicas.

Tendinite do tendão de Aquiles

O tendão de Aquiles é uma estrutura volumosa do sistema muscular e esquelético. Ele está localizado no calcanhar e constitui a sua borda externa, sendo responsável por regular a sua flexão e extensão.

Além dos traumatismos, calçados inadequados ou um campo de jogo em más condições também são responsáveis por esta tendinite. A carga que este tendão precisa suportar é enorme, pois ele se insere em grandes músculos, como a panturrilha, e em um osso totalmente envolvido na pisada, como é o caso do calcâneo.

A tendinite do tendão de Aquiles passa por diferentes fases clínicas. A primeira é a do traumatismo, quando começa o transtorno. A segunda é a inflamatória, com acúmulo de líquido no calcanhar, impotência funcional e dor.

Se não for tratada imediatamente, a próxima etapa é a degeneração das fibras de colágeno, que pode complicar a evolução e a recuperação.

Em casos extremos, quando a inflamação se prolonga sem tratamento e a pessoa continua a treinar sem fazer repouso, ela pode progredir para uma ruptura. Nesse caso, a cirurgia é indispensável para a reparação.

Pubalgia

Esta tendinite se tornou relevante em jogadores de futebol recentemente, pois passou a ser diagnosticada com maior frequência. A definição dos sinais que a evidenciam foi aprimorada nos protocolos da medicina esportiva.

A etiologia da pubalgia não é conhecida. Suspeita-se que um desequilíbrio de forças entre os músculos da coxa e do abdômen seja a causa principal, já que a tração na corrida ou no salto estenderia demais os ligamentos e tendões pélvicos.

Foi observado que ela é mais comum entre os atletas que não se alongam o suficiente ou que não se aquecem como deveriam. Também está associada aos jogadores de futebol de elite por causa do estresse gerado pelo desempenho esperado em jogos profissionais.

As tendinites mais comuns entre os atletas

As dores podem ser bastante incapacitantes e dificultar não só a prática esportiva, como também as atividades da vida diária. O diagnóstico às vezes é tardio porque os métodos complementares não são absolutos para a determinação do quadro clínico.

A reabilitação é o tratamento por excelência. Além dos analgésicos, as sessões de fisioterapia são capazes de reintegrar o atleta. Diferentes técnicas são utilizadas, desde massagens manuais clássicas até o ultrassom e as terapias de calor-frio.

As tendinites mais comuns e o seu efeito a longo prazo

Um dos problemas das tendinites mais comuns entre os atletas é a sua taxa de reincidência. Uma vez que há a inflamação de um tendão, existe a possibilidade de que ela se repita em um futuro próximo, se não forem tomados os cuidados necessários ou se a reabilitação não for adequada.

Por esse motivo, uma consulta médica e o cumprimento das indicações são fundamentais. Os tendões são estruturas anatômicas fortes, mas, ao mesmo tempo, frágeis. Por isso, a prevenção com o aquecimento e o alongamento é fundamental sempre que houver uma atividade esportiva.

Pode interessar a você...
Como evitar a tendinite após praticar esportes
Fit PeopleLeia em Fit People
Como evitar a tendinite após praticar esportes

Muitas pessoas que praticam exercícios cardiovasculares podem sofrer de lesões. Veja como evitar uma delas, a tendinite, a seguir.



  • Ugalde, Priscilla Bonilla, Melany Chavarría Briceño, and Cesia Grajales Navarrete. Tendinitis rotuliana (rodilla del saltador). Revista Médica de Costa Rica y Centroamérica 73.620 (2016): 519-523.
  • Sánchez, María Carrera. Comparación del tratamiento conservador y quirúrgico en la rotura aguda del tendón de Aquiles. Revista Internacional de Ciencias Podologicas 13.2 (2019): 67.
  • Barzola Yanqui, Jim Ian. Pubalgia en el deportista: enfoque fisioterapeútico. (2018).
  • Olivera, G., M. S. Holgado, and J. Cabello. Lesiones deportivas frecuentes en atención primaria. FMC-Formación Médica Continuada en Atención Primaria 8.5 (2001): 307-320.
  • Bahr, Roald, and Sverre Maehlum. Lesiones Deportivas/Sports Injuries: Diagnostico, Tratamiento Y Rehabilitacion/Diagnostic, Treatment and Rehabilitation. Ed. Médica Panamericana, 2007.