Por que devemos evitar o sedentarismo?

O sedentarismo é um estilo de vida que combina o consumo de alimentos processados e ricos em gordura com pouca ou nenhuma atividade física. Neste artigo, vamos explicar por que devemos evitá-lo.
Por que devemos evitar o sedentarismo?

Última atualização: 17 abril, 2021

O estilo de vida que levamos atualmente é radicalmente diferente do que era levado há milhares de anos. Naquela época, os nossos ancestrais precisavam de uma série de características para sobreviver em um ambiente hostil, como serem ágeis, rápidos e fortes. Hoje estamos no extremo oposto, tentando ao menos evitar o sedentarismo

Atualmente, ganhamos o nosso alimento passando a maior parte do dia sentados. Essa baixa atividade física, conhecida como sedentarismo, pode estar relacionada à origem de muitas doenças potencialmente fatais.

O que realmente é o sedentarismo?

O sedentarismo é composto por hábitos e um estilo de vida que envolvem pouca ou nenhuma atividade física no dia a dia. Não precisa ser acompanhado de hábitos alimentares inadequados, embora eles geralmente andem de mãos dadas.

Esse comportamento é promovido pela forma como a sociedade atual está estruturada. Em muitas ocasiões, os trabalhos de escritório nos quais ficamos sentados durante oito horas diárias fazem com que as pessoas voltem para casa cansadas, com pouca vontade de fazer exercícios.

Essas circunstâncias também favorecem evitar gastar tempo cozinhando e recorrer ao fast food que, combinado com a baixa atividade física, pode causar graves problemas de saúde a longo prazo.

Evitar o sedentarismo por causa das suas consequências

A associação de uma dieta baseada em fast food e um estilo de vida com pouca atividade é a base do que conhecemos atualmente como sedentarismo. As consequências negativas são difíceis de observar em um primeiro momento, mas, a longo prazo, elas se somam e se tornam cada vez mais visíveis.

evitar o sedentarismo

A seguir, vamos analisar as graves consequências que podem ser desencadeadas por um estilo de vida sedentário mantido durante muito tempo.

Sobrepeso e obesidade

O consumo de alimentos ricos em calorias e pobres em nutrientes essenciais, juntamente com um baixo gasto calórico diário, vai fazer com que nos encontremos constantemente em um superávit calórico.

Essas calorias, compostas quase que inteiramente por carboidratos processados ​​com pouco valor nutricional e gorduras saturadas, serão armazenadas na reserva energética favorita do organismo: a gordura visceral e subcutânea. Com o tempo, o acúmulo de gordura produzirá um sobrepeso significativo predominantemente central, especialmente ao redor da cintura, quadris e abdômen.

Esse excesso de peso central é perigoso por si só e pode ser a origem de doenças graves, como, por exemplo, a síndrome metabólica, que pode levar ao diabetes mellitus. Se isso não for corrigido a tempo, podemos até mesmo chegar a um estado de obesidade, no qual todas essas consequências que estamos explicando serão multiplicadas.

Diabetes mellitus

Conforme já adiantamos, o sobrepeso pode produzir uma síndrome metabólica que pode evoluir para o diabetes mellitus se não for corrigida a tempo. Por outro lado, a alta ingestão de carboidratos processados ​​que não serão queimados com exercícios físicos determinará níveis consistentemente elevados de glicose no sangue.

Essa elevação sustentada da glicose pode dessensibilizar as células pancreáticas responsáveis ​​pela produção de insulina. Como resultado, surge o diabetes tipo II.

Doença cardiovascular

O sedentarismo está relacionado principalmente às doenças cardiovasculares. Numerosos estudos relacionam esse estilo de vida com o desenvolvimento das placas ateroscleróticas.

evitar o sedentarismo

Essas placas se depositam nas artérias coronárias e podem chegar a causar obstruções, gerando uma patologia isquêmica, como o infarto do miocárdio. O ataque cardíaco é a principal causa de insuficiência cardíaca no mundo ocidental.

A obesidade e o diabetes são consequências do sedentarismo que podem acelerar o aparecimento dessa doença cardiovascular. Ambos os estados podem levar à hipertensão, hipertrigliceridemia e hipercolesterolemia.

Podemos ver que, de fato, o sedentarismo é a base de uma série de condições que são patológicas e nocivas por si só, mas que, quando combinadas, levam às doenças cardiovasculares. Essas condições, especialmente aquelas relacionadas com a cardiopatia isquêmica, como os infartos, são a principal causa de morte em muitos países do mundo.

Devemos evitar o sedentarismo!

Ainda que isso seja complicado em muitas fases da vida, devemos lembrar que fomos feitos para a atividade física. Embora no início evitar o sedentarismo possa ser complicado e tedioso, com o tempo, vamos apreciar a prática esportiva e todos os benefícios que ela pode nos trazer.

Por fim, recomendamos ler sobre a importância da nutrição e de uma alimentação balanceada. Se somarmos ambas as coisas, teremos uma ótima qualidade de vida e viveremos por muito mais tempo.

This might interest you...
Sou sedentário. Como começar a praticar exercício?
Fit People
Leia em Fit People
Sou sedentário. Como começar a praticar exercício?

Neste artigo, daremos algumas dicas para que você possa começar a praticar um exercício físico se você nunca fez ou se faz tempo que você não trein...



  • Owen N, Sparling PB, Healy GN, Dunstan DW, Matthews CE. Sedentary behavior: Emerging evidence for a new health risk. Vol. 85, Mayo Clinic Proceedings. Elsevier Ltd; 2010. p. 1138–41.
  • Lee IM, Shiroma EJ, Lobelo F, Puska P, Blair SN, Katzmarzyk PT, et al. Effect of physical inactivity on major non-communicable diseases worldwide: An analysis of burden of disease and life expectancy. Lancet. 2012;380(9838):219–29.
  • Katzmarzyk PT, Church TS, Craig CL, Bouchard C. Sitting time and mortality from all causes, cardiovascular disease, and cancer. Med Sci Sports Exerc. 2009 May;41(5):998–1005.
  • Panahi S, Tremblay A. Sedentariness and Health: Is Sedentary Behavior More Than Just Physical Inactivity? Front Public Heal. 2018 Sep 10;6.
  • Joseph JJ, Echouffo-Tcheugui JB, Golden SH, Chen H, Jenny NS, Carnethon MR, et al. Physical activity, sedentary behaviors and the incidence of type 2 diabetes mellitus: The multi-ethnic study of atherosclerosis (MESA). BMJ Open Diabetes Res Care. 2016 Jun 1;4(1).