Fit People
 

Como trabalhar a força mental em esportes de resistência?

Todos os esportes de resistência exigem grande força mental do atleta, que deve ser capaz de manter um esforço físico extremo durante longos períodos. Como melhorar essa qualidade?

Como trabalhar a força mental em esportes de resistência?

Última atualização: 01 Janeiro, 2021

Se há algo que caracteriza todos os esportes de resistência, é o esforço às vezes sobre-humano que os seus praticantes devem fazer. Exemplos desse tipo de esporte são o triatlo, a natação ou o ciclismo. Em todos eles, o atleta deve ser capaz de manter o esforço físico e a força mental durante longos períodos.

É verdade que para obter um bom desempenho nestes esportes é necessário ter uma boa capacidade cardiopulmonar, mas também é muito importante trabalhar a mente. O incrível esforço que ocorre não é apenas físico, mas também em grande parte mental.

Trabalhar a força mental permitirá que o atleta faça mais esforço físico. Muitas vezes se diz que o bloqueio está na mente e é por isso que vamos dar algumas dicas para trabalhar a força mental em esportes de resistência.

Limpe a mente de pensamentos negativos

É normal que os atletas experimentem sensações físicas desagradáveis ​​durante uma competição. No entanto, se a essas sensações físicas forem adicionados pensamentos negativos sobre si mesmo, o desconforto experimentado será ainda maior.

O truque nesses casos é direcionar a atenção para pensamentos neutros ou estímulos ambientais, sem conteúdo emocional. Como o movimento executado é automatizado, não é preciso prestar atenção à forma de correr, nadar ou pedalar.

Pensar em uma música, olhar para as roupas dos concorrentes ou executar uma lista de tarefas mentalmente são exemplos de estratégias de dissociação que libertam a mente da sensação de sufocamento e fadiga.

Não deixe de trabalhar a autoconfiança

trabalhar a força mental em esportes de resistência

Um nível ideal de autoconfiança está intimamente relacionado ao desempenho em esportes de resistência. Isso significa que, se essa variável psicológica for trabalhada, o atleta terá um estado de humor mais positivo e poderá atingir um nível superior de performance.

De acordo com estudo publicado na Revista de Psicología del Deporte, um alto nível de autoconfiança pode prevenir o desconforto antes de uma competição, pois essa variável torna mais fácil que os atletas alcancem os seus objetivos.

O trabalho psicológico para aumentar a autoconfiança deve ser constante. Técnicas como autoinstrução ou visualização são muito úteis para isso.

Relaxe e controle a respiração

O aumento na ativação antes de uma competição é um fenômeno muito comum. Esse aumento não é prejudicial em si, mas o problema surge quando a ativação é alta demais e atrapalha o desempenho do atleta.

O aumento da ativação tem origem no sistema nervoso simpático. Quando isso acontece, a respiração se torna mais rápida e superficial e os músculos ficam tensos. Se não forem controlados, esses sintomas vão afetar o desempenho físico e o controle motor de forma negativa e, portanto, o desempenho será prejudicado.

O que pode ser feito para controlar a ativação? Colocar em prática técnicas de relaxamento. A respiração diafragmática ou a técnica de relaxamento muscular progressivo descrita em publicações acadêmicas são as duas ferramentas mais utilizadas para controlar a ansiedade pré-competição.

Defina metas pessoais adequadas

O estabelecimento de metas é uma técnica psicológica poderosa que influencia positivamente aspectos como motivação e autoconfiança.

Em relação aos objetivos pessoais, de acordo com um estudo realizado pela revista Journal of Sport & Exercise Psychology, os atletas que estabeleceram metas mais altas, tanto em relação ao desempenho quanto ao resultado, obtiveram tempos de corrida menores do que aqueles que estabeleceram metas mais baixas.

trabalhar a força mental em esportes de resistência

É importante que as metas estabelecidas sejam exigentes e demandem o esforço do atleta, mas também não se deve estabelecer objetivos muito distantes das capacidades pessoais. O segredo é saber graduar a dificuldade de cada meta e adaptá-la de acordo com o progresso do atleta.

A força mental vai impulsionar as pernas

Para atingir o máximo desempenho possível em esportes de resistência, não basta treinar o sistema cardiopulmonar. Além disso, também é necessário realizar um treinamento mental para controlar todos os pensamentos e sentimentos desagradáveis.

Às vezes, são pensamentos como “não aguento mais” ou “acho que vou desmaiar” que diminuem o ritmo de corrida. A força mental dá um impulso extra ao atleta e é capaz de gerar um esforço adicional, mesmo quando ele pensa que não aguenta mais.

As sensações desagradáveis ​​não são evitáveis, mas é possível trabalhar sobre elas para evitar que limitem o desempenho. O fundamental é ter o controle sobre essas sensações e não o contrário, ou seja, não é o cansaço que deve controlar o atleta.

Truques para lidar com pensamentos negativos durante a corrida

Truques para lidar com pensamentos negativos durante a corrida

Vamos mostrar várias opções para evitar os pensamentos negativos durante a corrida. Continue lendo para melhorar o seu desempenho!



  • Bueno García, J., Capdevila Ortís, L., y Fernández-Castro, J. (2002). Sufrimiento competitivo y rendimiento en deportes de resistencia. Revista de Psicología del deporte, 11(2), 0209-226.
  • González, A., y Amigo, I. (2000). Efectos inmediatos del entrenamiento en relajación muscular progresiva sobre índices cardiovasculares. Psicothema, 12(1), 26-32.
  • Stoeber, J., Uphill, M.A. & Hotham, S. (2009) Predicting Race Performance in
    Triathlon: The Role of Perfectionism, Achievements Goals and Personal Goal
    Setting. Journal of Sport & Exercise Psychology, nº 31, 211-245.