Ovários policísticos: o que é e qual é o seu tratamento

A síndrome dos ovários policísticos é um distúrbio hormonal que pode afetar as mulheres em idade fértil. Neste artigo, veremos do que se trata e como pode ser tratada.
Ovários policísticos: o que é e qual é o seu tratamento

Última atualização: 04 Julho, 2021

O componente hormonal é muito importante tanto para a saúde do atleta quanto para a sua vida em geral. Uma das síndromes que podem ter grande relevância hormonal e, portanto, afetar o exercício físico e o bem-estar geral de um indivíduo, é a síndrome dos ovários policísticos. Neste artigo, vamos explicar o que é essa síndrome, os seus sintomas e o seu tratamento.

Síndrome dos ovários policísticos

A síndrome dos ovários policísticos é um distúrbio hormonal que pode surgir em mulheres durante a idade fértil. A sua origem ainda não foi totalmente esclarecida, embora fatores tanto genéticos quanto ambientais estejam envolvidos na sua origem.

Acredita-se que altos níveis do hormônio anti-Mülleriano – AMH – e de andrógenos durante a gestação possa causar a expressão de certos genes que, uma vez chegada a puberdade, manifestarão essa síndrome.

Sintomas

Esta doença tem uma grande variedade de sintomas. A maioria deles está relacionada a altos níveis de andrógenos.

A síndrome dos ovários policísticos leva esse nome devido ao grande número de cistos líquidos que se formam nos ovários, mas os sintomas vão muito além. Vamos expor aqui alguns dos sintomas mais frequentes:

Ovários policísticos

  • Ovários policísticos. Conforme comentado anteriormente, podem surgir numerosos cistos cheios de líquido no ovário. Esses cistos são visíveis no exame radiológico, bem como na tomografia computadorizada ou na ressonância magnética. Eles podem ser tão numerosos e abundantes que podem sobressair sobre outras vísceras abdominais, causando dor.
  • Hiperandrogenismo. O excesso de andrógenos – hormônios masculinos – que é a causa da síndrome dos ovários policísticos, também pode ser a origem da maioria dos seus sintomas. Isso pode causar o aparecimento de pelos faciais e corporais, o que se conhece como hirsutismo.

Complicações

Esta doença apresenta uma série de complicações que podem colocar a saúde em risco. Entre elas, encontramos a obesidade, mas são especialmente frequentes e importantes o diabetes, a apneia do sono, a pressão alta ou a esteatose hepática não alcoólica. Transtornos alimentares, depressão ou ansiedade também são comuns.

Tratamento da síndrome dos ovários policísticos

O tratamento da síndrome dos ovários policísticos é complexo. Não existe um método específico para esta doença; por isso, medidas dietéticas geralmente são escolhidas para evitar as complicações e minimizar os sintomas.

Os principais objetivos do tratamento dessa síndrome são a redução da resistência à insulina, a perda de peso e a normalização dos ciclos menstruais. Os principais pilares do tratamento da síndrome dos ovários policísticos são as medidas dietéticas, o estilo de vida e a medicação.

Exercício físico e alimentação

O exercício físico deve ser um dos pilares da vida de uma paciente com a síndrome dos ovários policísticos. Recomenda-se especialmente exercício intervalado, que tem se mostrado muito eficaz para a redução da resistência à insulina.

Ovários policísticos

Além disso, esses exercícios ajudam a controlar o peso corporal porque aumentam o metabolismo da gordura. Adicionalmente, isso também pode ajudar a regular os ciclos menstruais. Uma alimentação adequada nos ajudará a atingir esses objetivos se ela for acompanhada por exercícios físicos.

Medicação

Na maioria dos casos, as medidas dietéticas não são suficientes para controlar a doençaO uso de contraceptivos orais é comum, uma vez que eles são capazes de se ligar aos hormônios androgênicos como a testosterona e desativá-los. Dessa maneira, é possível evitar todos os sintomas androgênicos, tais como hirsutismo ou acne.

Além disso, a metformina geralmente também é utilizada para reduzir a resistência à insulina. Estatinas – como a atorvastatina – também são  usadas com frequência para reduzir os sintomas da síndrome metabólica e diminuir o colesterol no sangue. Com isso, também é possível conseguir regularizar o peso corporal.

Pode interessar a você...
Nutrição e síndrome pré-menstrual: como se relacionam
Fit PeopleLeia em Fit People
Nutrição e síndrome pré-menstrual: como se relacionam

A seguir, detalharemos como funciona o ciclo menstrual e como a alimentação influencia em uma questão tão importante como que é a síndrome pré-mens...