A romã é capaz de impedir a perda de massa muscular?

19 Junho, 2020
A romã parece melhorar a recuperação muscular após o exercício. Aqui nós falaremos sobre o que se sabe atualmente.
 

Nos últimos anos, vários produtos com extrato de romã foram lançados para venda com a suposta capacidade de reduzir a perda de massa muscular. Será que isso é verdade?

Isso ocorreu devido à publicação de um estudo em ratos que alegou que a romã protege os músculos esqueléticos contra a inflamação [1]. No entanto, esses resultados não foram perfeitamente estudados nos seres humanos.

Além disso, também foram realizados estudos sobre a capacidade do suco de romã de melhorar a recuperação de atletas levantadores de peso. Nesse caso, os efeitos em nove indivíduos foram analisados e concluiu-se que o consumo regular de suco de romã reduz a inflamação muscular e melhora a recuperação [2].

Então, o que a ciência diz sobre a romã?

Apesar dessas evidências, esses resultados também não permitem concluir com o mais alto grau de evidência que a romã é um fator contra a perda de massa muscular. Estudos maiores e randomizados são necessários para comprovar a eficácia dessa substância em comparação ao placebo e em esportes de diferentes tipos.

Normalmente, os testes são realizados primeiro em animais e depois em humanos. Às vezes, os resultados podem coincidir, mas isso nem sempre é o caso. É comum no caso da suplementação esportiva que os testes em ratos apresentem resultados diferentes daqueles realizados nos seres humanos.

Os melhores amigos da recuperação

No momento, as melhores estratégias nutricionais contra a perda de massa muscular continuam sendo a ingestão de proteínas e carboidratos pós-treino. Atualmente, uma proteína de alta qualidade tem a capacidade de amortecer os danos musculares e reduzir a dor.

 

Grande parte desse efeito recai sobre o aminoácido leucina, que é um dos mais importantes em termos de construção muscular.

Além disso, o consumo de vitaminas e antioxidantes após exercícios extenuantes também é recomendado. Essas substâncias contribuem para a redução dos radicais livres e para a melhora da recuperação muscular, modulando os processos inflamatórios.

A vitamina C, por exemplo, é um elemento fundamental na construção do tecido tendinoso, portanto, é importante garantir seu consumo.

Os melhores amigos da recuperação

Na suplementaçãoa administração de doses ​​de creatina pode ser interessante. Essa substância parece diminuir o risco de lesão muscular e, portanto, contribui para uma recuperação adequada.

Estratégias não nutricionais

Além da dieta, existem métodos que podem melhorar a recuperação, como a imersão em água fria ou a pressoterapia. Os tratamentos de fisioterapia nas horas após o exercício de alta intensidade parecem diminuir a inflamação e reduzir o desgaste muscular associado ao exercício.

Prevenção de lesões

É importante levar em conta todas essas dicas para garantir a recuperação ideal. Dessa forma, o risco de lesão será bastante reduzido, evitando prejudicar o desempenho do atleta.

 

Infelizmente, não existe substância que, suplementada em grandes quantidades, seja capaz de melhorar significativamente a recuperação. Ainda faltam estudos para saber se a romã pode ou não ter esse efeito.

Não é a primeira substância sobre a qual se há suspeita de conseguir influenciar os músculos positivamente. Mas e outros casos estudos posteriores acabaram mostrando o contrário.

Geralmente, os resultados obtidos em animais não são 100% compatíveis em relação aos seres humanos, e pesquisas com grandes espaços amostrais são necessárias para determinar qualquer efeito.

Romã cortada

Conclusão: a romã evita a perda de massa muscular?

A romã pode ter um efeito benéfico na perda da massa muscular, mas a literatura científica não permite que isso seja afirmado com certeza no momento. Até agora, só podemos contar com estratégias de recuperação evidenciadas em seres humanos, como métodos fisioterapêuticos e ingestão de carboidratos e proteínas.

O que está claro é que a nutrição correta contribui para a recuperação adequada e reduz o risco de lesões. Não é apenas nas horas após o exercício que é necessário cuidar da dieta, o atleta deve ser meticuloso com sua alimentação diária para minimizar os efeitos inflamatórios do treinamento e maximizar seu desempenho.

 
  1. Rodriguez J., Caille O., Ferreira D., Francaux M., Pomegranate extract prevents skeletal muscle of mice against wasting induced by acute TNF-a injection. Mol Nutr Food Res, 2017.
  2. Ammar A., Turki M., Chtourou H., Hammouda O., Trabelsi K., Kallel C., Abdelkarim O., Hoekelmann A., Bouaziz M., Ayadi F., Driss T., Souissi N., Pomegranate supplementation accelartes recovery of muscle damage and soreness and inflammatory markers after a weightlifting training sesión. PLos One, 2016.