O que é a dieta adstringente?

Se você tem diarreia frequente, seja por estresse, por consumo de antibióticos ou por atividade física excessiva, a dieta adstringente pode ser útil para você. Conheça-a em detalhes a seguir.
O que é a dieta adstringente?

Última atualização: 04 Abril, 2021

Alguns atletas geralmente sofrem de problemas relacionados ao intestino, como diarreia, com certa frequência. Isso pode acontecer devido à prática regular de atividade física, que pode estimular o peristaltismo intestinal e, como consequência, as evacuações. Para combater essa situação, vamos apresentar a dieta adstringente.

Antes de nos aprofundarmos no assunto, lembre-se de que esse modelo alimentar não é adequado para as pessoas que apresentam constipação. Caso um protocolo desse tipo seja adotado por essas pessoas, o problema de base pode ser agravado, resultando assim em dores abdominais frequentes.

Em que se baseia a dieta adstringente?

Essa dieta se baseia na inclusão de alimentos com a capacidade de aumentar o volume e a densidade do bolo fecal. É preciso ter cuidado com as fibras insolúveis, pois elas podem ter o efeito contrário e estimular os receptores de distensão do tubo digestivo.

Nesse caso, é a fibra solúvel que pode gerar um resultado positivo, pois ela retém o líquido no seu interior e compacta as fezes resultantes da digestão.

Existem certos alimentos de origem vegetal ideais para incluir na dieta adstringente, e um deles é a banana. Porém, é preciso evitar que ela seja consumida excessivamente madura, pois nesse caso poderia ocorrer o efeito contrário por causa da maior quantidade de açúcares simples na sua composição.

Outro produto com capacidade adstringente, de acordo com a ciência, é a batata. Ela também contém fibras capazes de compactar o bolo fecal e de ajudar a reter a água no seu interior, de acordo com um estudo publicado no Journal of Agricultural and Food ChemistryO arroz tem capacidades semelhantes, da mesma forma que o cacau.

Saco de batatas cruas

Por outro lado, os alimentos com probióticos, elaborados a partir da fermentação lática, são um remédio eficaz para evitar as diarreias, principalmente aquelas associadas ao uso de antibióticos. Incluir um suplemento de bactérias na dieta pode ser eficaz para melhorar o funcionamento intestinal. Isso, sem dúvida, deve ser decidido em conjunto com um especialista.

Alimentos a serem evitados

Na dieta adstringente, devem ser evitados todos os alimentos que contenham quantidades significativas de fibra insolúvel, como, por exemplo, os cereais integrais de grão inteiro. Existem estudos científicos que demonstram a sua eficácia para aumentar o número de evacuações diárias, principalmente quando a contagem global de fibras chega a 20 gramas por dia.

Também é preciso ter cuidado com as frutas que contêm enzimas proteolíticas, tais como kiwi e abacaxi. Elas podem gerar uma decomposição excessiva do bolo fecal, o que se traduz em uma menor consistência da massa que percorre o intestino e em problemas na reabsorção de líquidos na região do intestino grosso.

A ingestão de água na dieta adstringente

Todos nós sabemos da importância de garantir a ingestão adequada de líquidos para prevenir a desidratação. No entanto, na dieta adstringente, é vital evitar exageros nesse aspecto.

Exceder 2,5 litros de água por dia, principalmente fora do contexto esportivo, pode gerar ineficiências na reabsorção que ocorre nas partes distais do intestino. A partir de então, o risco de diarreia aumenta.

Da mesma forma, a ingestão insuficiente de água pode estimular a constipação, uma condição que também não é considerada saudável. É fundamental que a hidratação seja garantida por meio da ingestão de água, uma vez que a presença de bebidas adoçadas na dieta pode alterar a microbiota intestinal e gerar problemas de trânsito e metabólicos.

Garota bebendo água

A dieta adstringente, um remédio pontual

A dieta adstringente se baseia, conforme foi visto, na restrição de frutas com enzimas proteolíticas e de alimentos com fibras insolúveis, tais como grãos inteiros ou produtos enriquecidos.

Ao mesmo tempo, prioriza o consumo de laticínios fermentados, frutas com fibras solúveis e outros elementos, como, por exemplo, o cacau ou o café, tudo isso garantindo que as necessidades de proteína e gordura sejam atendidas, é claro.

Além disso, essa dieta oferece uma série de recomendações quanto à ingestão de líquidos. Graças a essas orientações, ela contribui para que seja gerado um bolo fecal volumoso, porém compacto. Ao mesmo tempo, evita-se um problema na reabsorção de água na região distal do intestino, o que poderia decompor as fezes.

Em última análise, lembre-se de que tanto os antibióticos quanto a prática esportiva intensa demais, ou até mesmo o estresse, podem levar a um desequilíbrio intestinal. Se você acha que pode estar sofrendo desse problema, não hesite em consultar um médico.

Pode interessar a você...
Benefícios de adicionar a quinoa à dieta
Fit PeopleLeia em Fit People
Benefícios de adicionar a quinoa à dieta

Hoje vamos ver os benefícios da quinoa se você incorporá-la na sua alimentação. A quinoa é um pseudocereal que ganhou grande popularidade.



  • Duggan T., Dawid C., Baur S., Hofmann T., Characterization of bitter and anstringent off taste compounds in potato fibers. J Agric Food Chem, 2020. 68 (4): 11524-11534.
  • Fathallah N., Bouchard D., Parades V., Diet and lifestyle rules in chronic constipation in adults: from fantasy to reality. Presse Med, 2017. 46 (1): 23-30.