Fazer cardio em jejum funciona?

01 Setembro, 2020
Fazer cardio em jejum melhora a composição corporal do indivíduo a partir de uma maior utilização da gordura como o principal substrato energético.

Fazer cardio em jejum é uma estratégia que muitos atletas usam para buscar uma melhora na composição corporal. Seu fundamento se baseia no fato de que, na ausência de alimentos, a glicose utilizada como combustível provém da transformação dos ácidos graxos em energia.

Para obter essas moléculas, é necessário quebrar os triglicerídeos que compõem o tecido adiposo. Portanto, essa situação leva a uma redução da massa gorda. Para descobrir todos os benefícios que você pode obter por meio do cardio em jejum, continue lendo.

Redução do tecido adiposo

Conforme mencionamos, fazer exercícios de intensidade moderada durante o período de jejum melhora a composição corporal. 

Assim afirma um artigo publicado na revista La Tunisie Medicale, que mostra os efeitos da prática de exercício durante o Ramadã na composição corporal dos atletas. Geralmente, tanto a massa total quanto a massa gorda diminuem durante esse período.

Porém, geralmente é recomendado que o exercício feito em jejum não ultrapasse 60% da intensidade máxima suportada pelo indivíduo.

Embora não existam artigos que forneçam evidências sólidas sobre o treinamento em jejum e o risco de lesões, fazer exercício nessas condições pode reduzir o desempenho. Ao mesmo tempo, podem surgir tonturas durante exercícios de alta intensidade que colocariam em risco a continuidade da atividade.

Fazer cardio em jejum melhora o desempenho

Embora a intensidade do treino em si deva ser menor e o desempenho possa ser reduzido, a longo prazo as coisas mudam. Fazer exercício em condições de depleção de glicogênio estimula a reprodução mitocondrial. Além disso, também melhora a eficiência do corpo para oxidar lipídios a fim de produzir energia.

Fazer cardio em jejum

Por outro lado, os protocolos de jejum também estão relacionados à promoção da autofagia, conforme afirma uma pesquisa publicada na revista ClinicsEsse processo consiste na destruição das células pouco úteis ​​do organismo e na sua substituição por outras mais funcionais.

Dessa forma, treinar com as reservas de nutrientes meio vazias pode melhorar a eficiência do atleta diante da mesma situação de exercício, mas com o corpo carregado de glicose e glicogênio.

Os efeitos dessa estratégia para a saúde

Por outro lado, deixando de lado o desempenho esportivo, fazer cardio em jejum pode melhorar a saúdeEssa estratégia consegue reduzir a resistência à insulina, diminuindo assim a probabilidade de desenvolver uma patologia do tipo metabólico.

Por sua vez, também está associada a uma melhora no perfil lipídico, o que pode ter um efeito positivo sobre o risco cardiovascular.

Além disso, a redução de massa gorda também está associada a uma melhora do estado de saúde. Pessoas com um peso adequado – peso normal – têm menor probabilidade de desenvolver patologias complexas a médio e longo prazo.

De qualquer forma, é recomendável fazer cardio em jejum sob a supervisão de um especialista. Dessa forma, será realizado um melhor controle da carga e o risco de complicações será reduzido. Lembre-se também de garantir uma hidratação adequada.

Fazer cardio em jejum funciona!

Fazer cardio em jejum pode trazer benefícios no nível esportivo e para a saúde. Em relação ao desempenho físico, cabe destacar que há um aumento na eficiência do atleta.

Fazer cardio em jejum

Essa situação, que ocorre a médio prazo, origina-se a partir de uma melhora na oxidação de lipídios para a obtenção de energia. A reprodução mitocondrial também é importante nesse aspecto.

Em termos de saúde, a redução do peso gordo está associada a um menor risco de doenças. Ao mesmo tempo, fazer cardio em jejum também pode reduzir a resistência à insulina, o que tem um impacto positivo para a saúde metabólica do indivíduo.

Por sua vez, a promoção da autofagia está associada a uma menor probabilidade de desenvolver problemas de tipo tumoral a longo prazo.

Se você ainda não experimentou, pode ser uma boa ideia fazer uma tentativa. De qualquer forma, não experimente sem primeiramente consultar um especialista, para que ele indique como isso pode ser feito com segurança. Controlar a carga de trabalho e a hidratação são dois fatores fundamentais para evitar complicações.

  • Aloui A., Bklouti H., Souissi N., Chtourou H., Effect of ramadan fasting on body composition in athletes: a systematic review. Tunis Med, 2019. 97 (10): 1087-1094.
  • Antunes F., Garcia Erustes A., Jardim Costa A., Nascimento AC., et al., Autophagy and intermittent fasting: the connection for cáncer therapy? Clinics, 2018.