Como o álcool afeta o desempenho esportivo?

08 Julho, 2020
Vamos mostrar por que o álcool é um inimigo dos atletas e como ele influencia o desempenho.
 

O álcool, por ser uma das drogas permitidas pelo COI, é amplamente utilizado no mundo dos esportes. Muitos atletas o consomem com frequência para relaxar depois das duras sessões de treinamento. No entanto, o consumo de álcool tem um alto custo, tanto para a saúde quanto para o desempenho esportivo.

O álcool diminui o desempenho nos dias posteriores

O álcool possui propriedades inflamatórias e moduladoras da tensão [1]. Por esse motivo, o desempenho do corpo diminui nos dias seguintes ao seu consumo.

Até que o corpo humano se recupere de uma grande ingestão de álcool, pode levar pelo menos 48 horas. Durante esse período, a eficiência esportiva estará reduzida.

Os sintomas mais claros nos dias posteriores ao consumo de álcool são o cansaço e a exaustão. A força muscular pode ficar diminuída e a tontura pode aparecer durante a própria sessão de treinamento.

Ainda não está claro se o álcool aumenta o risco de lesão muscular. Apesar disso, existem autores que o associam a esse problema, principalmente se consumido no pós-treino, por causa dos seus efeitos hipoglicemiantes. Além disso, ele também é um potente diurético, aumentando assim o risco de desidratação.

Já está claro que o consumo de álcool após um esforço extenuante é totalmente contraproducente para a recuperação muscular [2]. Além disso, o desempenho será reduzido de forma significativa nos treinos seguintes.

o álcool afeta o desempenho esportivo
 

O mito do álcool e seu poder antioxidante

Até alguns anos atrás, o consumo diário de vinho estava associado a uma melhora na capacidade antioxidante. Esse fato era considerado positivo para a saúde cardiovascular e era recomendado por especialistas.

A capacidade antioxidante do vinho provém do resveratrol. Essa substância é encontrada nas uvas roxas e não é necessário que haja uma fermentação alcoólica para que ela seja aproveitada.

Assim, o consumo da fruta em si tem um importante efeito benéfico para a saúde. No entanto, esse efeito fica comprometido se houver a fermentação alcoólica.

A ingestão de álcool aumenta o risco de doenças complexas a médio e longo prazo. Ele está diretamente relacionado às patologias hepáticas e ao desenvolvimento de vários tipos de câncer.

Portanto, não vale a pena beber vinho para aproveitar os efeitos do resveratrol quando, pelo contrário, você pode consumir uvas frescas sem sofrer os efeitos do álcool.

Os antioxidantes e o esporte

Consumir antioxidantes e alimentos com propriedades anti-inflamatórias é interessante para a prática esportiva. Por esse motivo, nos últimos anos, o consumo de sementes, ácidos ômega 3, cúrcuma e outros vegetais ricos nessas substâncias virou moda.

Os antioxidantes permitem combater o desgaste causado pelo esporte de alta intensidade. Ao mesmo tempo, eles reduzem a formação de radicais livres e melhoram a capacidade de recuperação após esforços extenuantes.

As substâncias anti-inflamatórias permitem modular os processos de inflamação muscular ou articular após o esforço físico. Assim, recuperação ocorre de forma mais rápida e eficaz e o risco de lesões posteriores é reduzido.

 
o álcool afeta o desempenho esportivo

Para maximizar o consumo desses nutrientes, é conveniente aumentar a ingestão de frutas e legumes. Além disso, também podem ser usados certos suplementos, tais como o ômega 3, a cúrcuma e a vitamina D​​.

Essas estratégias alimentares, combinadas ao descanso adequado e à abstinência de bebidas alcoólicas, vão garantir uma recuperação ideal.

Conclusão sobre a influência do álcool no desempenho

O consumo de bebidas alcoólicas é totalmente prejudicial para o organismo e para a prática esportiva. Essa ingestão aumenta a inflamação, a desidratação e o risco de lesões nos dias posteriores ao esforço.

Além disso, também pode levar ao aumento da fadiga e a uma intensa sensação de cansaço. No caso dos atletas de elite, deve haver um cuidado rigoroso com a dieta.

Por esse motivo, ainda que o álcool seja permitido pelo COI, o consumo dessa substância deve ser limitado o máximo possível. Em vez disso, é interessante aumentar a ingestão de antioxidantes, bem como de alimentos com propriedades anti-inflamatórias e vitaminas.

Para isso, é necessário garantir o consumo de pelo menos cinco porções de frutas e vegetais diariamente. Dessa forma, vamos conseguir maximizar a recuperação muscular e minimizar o risco de lesões nas sessões de treinamento seguintes.

 
  1. Kypri K., McCambridge J., Alcohol must be recognised as a drug. BMJ, 2018.
  2. Kingsland M., Wolfenden L., Tindall J., Rowland BC., Lecathelinais C., Gillham KE., Dodds P., Sidey MN., Rogerson JC., McElduff P., Crundall I., Wiggers JH., Tackling risky alcohol consumption in sport: a cluster randomised controlled trial of an alcohol management intervention with community football clubs. J Epidemiol Community Health, 2015. 69 (10): 993-9.