Como o esporte ajuda a prevenir o Alzheimer?

O Alzheimer é uma doença neurodegenerativa com consequências devastadoras para o indivíduo. O seu aparecimento depende de muitos fatores, mas a prevenção é possível por meio do exercício físico.

Última atualização: 16 Fevereiro, 2021

Um dos desafios fundamentais que a ciência enfrenta atualmente é prevenir o Alzheimer. As consequências dessa doença devastadora e o seu aparecimento cada vez mais precoce são uma preocupação crescente para os profissionais da saúde.

O Alzheimer é uma doença neurodegenerativa que causa problemas de memória, pensamento e comportamento na pessoa afetada. É o tipo de demência mais comum: uma publicação na revista Neurología afirma que, na Europa, 5% da população sofre de Alzheimer 

O esporte como um método para prevenir o Alzheimer

Infelizmente, essa é uma doença que não tem cura e cujos sintomas vão piorando progressivamente até que a pessoa não reconhece o ambiente ao seu redor. Apesar disso, existem tratamentos que podem retardar e prevenir o Alzheimer.

É um fato bem conhecido que o exercício físico ajuda a manter o cérebro saudável. Além disso, ele também se mostra eficaz na prevenção de doenças degenerativas, tais como Alzheimer e Parkinson. A seguir, vamos nos aprofundar sobre os benefícios do exercício para a saúde do cérebro.

Aumento do fluxo sanguíneo no cérebro

Uma das principais alterações que ocorrem no cérebro após o exercício é o aumento da oxigenação, como consequência do maior aporte sanguíneo. Isso ajuda a manter a saúde dos neurônios, pois proporciona um suprimento extra de nutrientes para as células do cérebro.

Para as pessoas com Alzheimer, o aumento da oxigenação é especialmente benéfico. Essa doença produz uma diminuição do fluxo sanguíneo e, portanto, uma maior morte de neurônios.

Por outro lado, o aumento da oxigenação também provoca a criação de novos vasos capilares. Assim, é obtido um maior fluxo para mais áreas do cérebro e, portanto, a probabilidade de morte dos neurônios em uma área específica diminui.

Estimula processos cognitivos

Praticar esportes é muito mais do que movimentar os músculos e ossos. O esporte tem um forte componente mental, já que os processos cognitivos, tais como a atenção ou a memória, precisam estar ativos e funcionando da melhor forma para um bom desempenho.

De acordo com um estudo publicado pela Experimental Gerontologyo exercício físico é uma forma eficaz de melhorar os processos cognitivos. Além disso, esse efeito ocorre independentemente da idade da pessoa e, portanto, prevenir o Alzheimer é possível em qualquer idade.

Afeta a plasticidade cerebral de forma positiva

O cérebro é, sem dúvida, o órgão mais plástico que existe. Isso significa que esse órgão é capaz de criar novas redes e conexões quando as existentes falham. A grande vantagem da plasticidade cerebral é que ela é inesgotável: ela não acaba em uma certa idade, mas ocorre ao longo de toda a vida.

Vale ressaltar o efeito da prática esportiva na secreção do fator de crescimento IG-1. Essa substância é liberada pelos músculos durante o exercício e, ao chegar ao cérebro, exerce um efeito protetor sobre os neurônios. Portanto, quanto mais ativos os músculos, mais protegido estará o cérebro.

Aumenta a reserva cognitiva

A reserva cognitiva é a capacidade do cérebro de resistir aos danos sem apresentar alterações. Ou seja, quanto maior a reserva cognitiva, maior a capacidade de resistir aos efeitos do envelhecimento ou de doenças neurodegenerativas.

Um estudo realizado por profissionais da Universidade Ramón Llul afirma que o cérebro de idosos ativos conserva mais matéria cinzenta. Ou seja, um estilo de vida ativo é um fator de proteção muito importante não apenas para prevenir o Alzheimer, como também para retardar os danos típicos causados ​​pela idade.

Prevenir o Alzheimer está em suas mãos

É muito simplista estabelecer uma relação de causa-efeito entre o sedentarismo e o Alzheimer, uma vez que fatores biológicos, psicológicos e ambientais intervêm no desenvolvimento da doença. No entanto, levar um estilo de vida ativo é um primeiro passo muito importante para combater as consequências dessa doença.

Praticar esportes é um pequeno gesto que traz muitos benefícios. De acordo com uma revisão publicada pela Revista Cubana de Salud Públicaa atividade física de intensidade vigorosa leva a uma redução do risco de sofrer de Alzheimer de 37 a 50%. Tendo em vista esses dados, é conveniente começar a cuidar do cérebro antes que seja tarde demais.

Pode interessar a você...
Fit PeopleLeia em Fit People
Quais são as mudanças físicas associadas ao envelhecimento?

As mudanças físicas associadas ao envelhecimento são diferentes para cada indivíduo e também para os diferentes sistemas do organismo.



  • Castro-Jiménez, L. E., y Galvis-Fajardo, C. A. (2018). Efecto de la actividad física sobre el deterioro cognitivo y la demencia. Revista cubana de salud pública, 44, e979.
  • Fortuño-Godes, J. (2017). Relación entre ejercicio físico y procesos cognitivos en las personas mayores. Agora para la educación física y el deporte, 19(1), 73-87.
  • Lucas, S. J., Ainslie, P. N., Murrell, C. J., Thomas, K. N., Franz, E. A., y Cotter, J. D. (2012). Effect of age on exercise-induced alterations in cognitive executive function: relationship to cerebral perfusion. Experimental gerontology, 47(8), 541-551.
  • Niu, H., Álvarez-Álvarez, I., Guillén-Grima, F., y Aguinaga-Ontoso, I. (2017). Prevalencia e incidencia de la enfermedad de Alzheimer en Europa: metaanálisis. Neurología, 32(8), 523-532.